Coimbra  28 de Janeiro de 2023 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

IPC aposta no empreendedorismo com mais uma edição do Concurso Poliempreende

24 de Fevereiro 2022 Jornal Campeão: IPC aposta no empreendedorismo com mais uma edição do Concurso Poliempreende

Arrancou a 18.ª edição do Poliempreende – Start Up Your Idea no Politécnico de Coimbra (IPC). A sessão de abertura decorreu ontem, dia 23, em formato online.

Sara Proença, directora do INOPOL Academia de Empreendedorismo e coordenadora Regional do Poliempreende, fez a apresentação da edição deste ano do programa Poliempreende, “a maior rede de promoção do empreendedorismo no ensino superior politécnico” a nível nacional, que envolve toda a comunidade académica e conta com o apoio de diversos agentes do ecossistema empreendedor nacional. Está aberta à participação de estudantes, diplomados e professores/investigadores que, com o suporte de mentores/consultores, apresentam projectos de negócio à apreciação de um júri, habilitando-se a prémios monetários e a serviços de incubação no INOPOL Academia de Empreendedorismo.

O programa pretende, sobretudo, promover a cultura empreendedora, o espírito de iniciativa e o enriquecimento curricular dos actores académicos participantes, fomentando o desenvolvimento de projectos de vocação empresarial e valorizando o conhecimento gerado no seio da comunidade académica, potenciando assim a transferência de tecnologia e a criação de novas empresas de cariz inovador. Segundo Sara Proença, é importante para o sucesso do projecto que exista “capacidade para criar equipas que reúnam estudantes de diferentes perfis” e provenientes das diferentes Escolas do IPC.

Na sua intervenção, Jorge Conde, presidente do Politécnico de Coimbra, referiu que “o empreendedorismo é uma área cada vez mais abraçada pelas IES (Instituições de Ensino Superior)” e, em particular, pelo IPC, pelo facto de ajudar muitos estudantes a inovar, desenvolver ideias de negócio e criarem o seu próprio emprego. O responsável salientou ainda a importância do INOPOL, a incubadora de empresas do Politécnico de Coimbra, pela sua acção não só ao nível do estímulo à geração de novas ideias, mas também no apoio à sua transformação em negócios. Por último, destacou o que “empreendedorismo não é sinónimo de empresarialização”, uma vez que a capacidade de inovação é tão preponderante para fins de criação do seu próprio negócio, como para quem escolhe trabalhar por conta de outrem, em empresas.

 

Entrega de ideias de negócio até 27 de Abril

O projecto Poliempreende integra todas as instituições politécnicas do país, num total de 21 parceiros (a que corresponde um universo de mais de 100 mil estudantes e mais de sete mil docentes), englobando uma fase regional e uma fase nacional. A nível regional, o IPC promove um conjunto de iniciativas (sessões de sensibilização, oficinas deformação/capacitação e mentoring), que culminam na escolha do melhor projecto de negócio. O projecto vencedor no IPC concorre depois a nível nacional com os vencedores apurados nos restantes parceiros da rede.

Nesta 18.ª edição, o prazo limite para entrega das ideias de negócio será o dia 27 de Abril, seguindo-se no dia 4 de Maio um Bootcamp de Ideação com o objectivo de apoiar as equipas no desenvolvimento e aperfeiçoamento das ideias submetidas (com recurso ao apoio de um conjunto alargado de mentores), assim como validar as que demonstram potencial para seguir para a fase seguinte. Para 29 de Junho está marcada a entrega dos planos de negócio e a 13 de Julho realizar-se-á o Concurso Regional. Entretanto, entre os meses de Março a Junho, irão decorrer diversas sessões de sensibilização e capacitação. De referir que o IPC compete a nível nacional há vários anos, desde a 5.ª edição, e conta com seis vitórias, um segundo e um terceiro prémios e um prémio inovação Delta. A vitória mais recente deu-se no Concurso Poliempreende 2020 (o qual foi atribuído em 2021), com o projecto da equipa INOAPI, que propôs um conjunto de soluções inovadoras para a indústria da Apicultura.

 

Exemplo de empreendedorismo

Inês Franco Alexandre foi a oradora convidada desta sessão de abertura. Considerada uma das 100 jovens mais influentes de Portugal pelo projecto “100 oportunidades”, é um dos rostos mais visíveis do empreendedorismo social e de impacto a nível nacional, fazendo da sua missão de vida encontrar soluções inovadoras, escaláveis e sustentáveis para responder aos problemas e desafios sociais e ambientais mais prementes da sociedade. É atualmente Head of Digital Ecosystem e People & Culture Manager na Girl MOVE Academy, uma Academia de Liderança e Empreendedorismo Social que procura, através de modelos educativos inovadores e de novas formas de pensar e de agir mais inclusivas e sustentáveis, promover o empoderamento de raparigas e mulheres moçambicanas. É também presidente do Movimento Transformers, uma organização com mais de 10 anos de actividade e que tem como missão combater o problema da falta de participação cívica e social da sociedade civil em Portugal, promovendo e envolvimento das pessoas nas suas comunidades através daquilo que mais gostam de fazer.

Durante a sua intervenção, a empreendedora abordou vários tópicos ligados ao empreendedorismo, liderança, ativismo, inovação e impacto social, designadamente os diferentes tipos de empreendedorismo, as várias etapas que compõem o processo de criação de um projecto, negócio ou startup e as aprendizagens práticas que retirou ao longo do seu percurso. A oradora salientou ainda que “não temos todos de ser tudo”, mas que existe sempre espaço para fazermos a diferença dentro de uma organização, pelo que devemos todos explorar o nosso potencial para o “(intra)empreendedorismo”. Finalizou apelando aos participantes que invistam no exercício de descobrir quais são os seus talentos, através do cruzamento entre experiências de vida (pessoais ou profissionais), competências adquiridas e pessoas que nos inspiram e influenciam.