Coimbra  27 de Maio de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Alfredo Castanheira Neves

Vítor Campos, o amigo

8 de Março 2019

vitor-campos

Por várias vezes, disse que, se fosse incumbido de fazer um dicionário, a expressão que me consumiria menos tempo a decifrar seria ACADÉMICA, pois para tanto bastaria colocar a fotografia do Vítor Campos!

Ele foi um conceituado e credenciado médico (anestesista), um cidadão exemplar no plano cívico e humano, um genuíno e matricial intérprete da idiossincrasia e da mística da maior instituição sócio-desportiva de Portugal – a Associação Académica de Coimbra.

O fulgor das suas exibições, a irradiante alegria com que praticou e jogou futebol, a paixão com que lutava pela sua, pela nossa, Académica, são marcas indeléveis e imorredoiras de uma página de ouro da história da instituição.

A par disso, e não menos do que isso, teve sempre na vida uma postura de enorme lealdade, de invulgar solidariedade, de exemplar tolerância, de aprumado civismo, de contagiante alegria, sendo indiscutivelmente “o Amigo” que todos querem ter.

Quando, há perto de 60 anos, chegou a Coimbra, provindo da sua terra natal, Torres Vedras, uma semana depois já éramos amigos e assim nos mantivemos sem hiatos e sempre com renovado entusiasmo, mesmo depois de atraiçoado precocemente pelo destino no capítulo da saúde.

As nossas «reuniões» semanais, que mantivemos até ao ultimo domingo, inspiraram sempre a definição da postura solidária e fraterna com que instintivamente me vinculou desde que o conheci.

De facto, o Vítor veio para ficar no coração de todos os que tiveram, como eu, o privilégio de o conhecer e ter por Amigo, na repartição da peregrinação da vida e, sobretudo, da glória e das angústias da Académica, na exuberância das frequentes e intensas conversas pessoais que mantivemos e durante as quais foi sempre sua preocupação falar e saber da nossa Académica, falar e saber de Coimbra, projectar soluções para um futuro menos turbulento.

Partiu um grande Senhor, um grande desportista, um grande homem. Mas fica o seu exemplo, que procuraremos honrar na recordação viva de um Amigo/Irmão que jamais sairá do meu coração.

Onde estiveres, grande Vítor, ajuda-me a saber honrar a tua memória e a tua inesquecível personalidade e nunca faltes, por favor, às nossas conversas dominicais!

(*) Anterior presidente da Mesa da AG da AAC/OAF