Coimbra  17 de Maio de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

João Pinho *

Sinal de um novo tempo para o Norte do Município de Coimbra?

12 de Março 2021

A Câmara Municipal de Coimbra anunciou, através dos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC), o reforço do serviço público de transportes, alargando a oferta a partir de Abril, da rede de transportes que será prolongada às freguesias da zona norte de Coimbra, designadamente Brasfemes, Souselas e Botão, sendo ainda reforçada nas freguesias de Eiras, São Paulo de Frades, Trouxemil e Torre de Vilela. Foi, sem dúvida, uma excelente notícia para mais de 20 mil habitantes abrangidos com a decisão, a quem vai ser permitido o acesso às tarifas sociais praticadas pela autarquia, criando poupança às famílias residentes.

E é na qualidade de residente, com profundas ligações familiares à freguesia de Botão, e de amizade e trabalho a Souselas, que me congratulo, particularmente, com esta decisão. O norte do município de Coimbra precisa, urgentemente, de ser alavancado para outro patamar, com obras de grande alcance, que a recoloquem no caminho do progresso, desenvolvimento e modernidade.

O propagandeado clima de crispação político-institucional entre junta e câmara não justifica, não pode justificar, de forma alguma, aquilo a que vimos assistindo nestas duas emblemáticas freguesias nos últimos anos: desinvestimento, desinteresse, decadência e regressão do poder local.

Acredito que quem está no poder, representando estas comunidades, procure fazer o melhor que pode e sabe. Mas não acredito que se possa fazer tão pouco, havendo tanto por onde caminhar e investir. Não é sábio, parece-me, colocar interesses pessoais sobre coletivos, ou políticos acima dos institucionais – como vou escutando aqui e ali, nas poucas conversas que a pandemia permite ter no espaço público.

A decisão tomada pelos SMTUC, que se anuncia como experimental, mas que, certamente, será definitiva no curto prazo, constitui, desde logo, uma homenagem. A centenas de habitantes que durante décadas tiveram de calcorrear ou pedalar pelos caminhos das freguesias, para conseguir transporte – não só o das carreiras, mas também e em especial o ferroviário – fosse para a grande urbe de Coimbra, ou para os centros industriais de Souselas e Pampilhosa.

Talvez esta decisão seja o prenúncio de uma Primavera serena e feliz para as gentes do norte do Município de Coimbra. Oxalá me não engane!

(*) Historiador e investigador