Coimbra  16 de Setembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

António Barreiros

Sem misericórdia / TVI – PC

30 de Julho 2018

As duas reportagens, assinadas pelo jornalista Pedro Carvalhas, da TVI, sobre Instituições de Solidariedade Social dos Açores, são uma investigação que enobrece quem a fez.

Não posso deixar de afirmar – ficar-me-ia mal não o referir – que trabalhei e conheço este meu ex-colega.

Antes de tudo o mais dizer que se trata de um homem com esteio familiar de estacaria robusta, firmada nos princípios mais figurativos do seio cristão e, também, um jornalista que, e ao longo do tempo, soube amadurecer e cresceu em profissionalismo.

Este trabalho, de denúncia pública do que muitos açorianos sabem mas, e por razões óbvias, têm medo de vir afirmar, retrata o péssimo serviço que alguns responsáveis e colaboradores prestam em unidades como as que a reportagem manifesta sem “papas na descrição” e, ainda, sem palas na imagem…

O jornalista vem a terreiro, com coragem, trazer o que se tem calado, sabendo.

Vergonha para essas instituições. Vergonha para o Governo regional, porquanto se sabe já que haviam queixas…

Esta forma de deixar andar, sem apurar responsabilidades é muito do nosso modo de vida português, porque faz parte – quase tudo – da mesma família.

Os ilhéus têm uma filosofia de vida diferente de um continental e fecham-se na sua concha.

Até porque, e como se sabe, mais de 45 por cento da população do Arquipélago dos Açores depende, directamente, do Governo e cerca de 25 por cento indirectamente do poder político… São números que assustam pela dimensão da dependência.

São números que obriga quem trabalha para qualquer departamento do Governo regional a ficar cativo e a calar, em vez de denunciar, porque o ganha pão está em quem a pessoa serve…

Deve vir, estou certo disso, o Governo regional cuspir cobras e lagartos contra a reportagem, contra a TVI e contra o jornalista Pedro Carvalhas.

O Governo, apesar de já ter recebido várias queixas, nunca agiu e vem, agora, criticar quem trouxe a nú tanta indecência humana?
Tenham vergonha e sejam sérios.

Não empurrem para cima dos mesmos, os que acabam por ser os bodes expiatórios das asneiras políticas e dos homens que deveriam servir a região e não o fazem.

Infligir maus tratos e não exercer a missão para que foi criado, recebendo dinheiros dos contribuintes e da República, é um crime e, também, um acto miserável e horrendo.

Força Pedro Carvalhas.

É com este jornalismo sério que vamos sabendo como estamos a ser tratados por uma classe, a política (salvo raras excepções), que está-se nas tintas para os portugueses e para os mais fracos.

Se fora um qualquer apelido que tivesse a ver com salga… nada se passaria e jamais se conheceriam ecos sociais, políticos, judiciais ou outros.

E fico satisfeito por ser um jornalista de Coimbra, porque engrandece a nossa cidade e, também, revela que nela se formaram profissionais de cepa dura, e de firmada competência profissional.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com