Coimbra  17 de Julho de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Rui Avelar

Rio abaixo

20 de Março 2018

José Maria Silvano, antigo dirigente da Associação Académica de Coimbra (AAC), é o militante do PSD escolhido por Rui Rio para substituir Feliciano Barreiras Duarte como secretário-geral do partido.
Deputado à Assembleia da República, Silvano andou nas «bocas do mundo» ao assumir função de relevo, durante o consulado de Passos Coelho, em representação do PSD, no polémico dossiê da revisão da lei de financiamento partidário.
O papel de expoente protagonizado pelo jurista é consentâneo com o seu passado de membro da Direcção-Geral da AAC, outrora presidida por Guilherme Carreira. Numa ocasião (primeira metade da década de 80 [do século XX]) em que a lista da JSD para a DG da AAC teve como opositora a chamada lista dos «piratas» (encabeçada por João José Simões de Sousa) já José Maria se revelou um exímio «aparelhista».
A lista de João José contou com o apoio de destacados ex-dirigentes da AAC afectos à social-democracia como, por exemplo, Carlos Andrade, António Marques, Jorge Costa e José Américo Andrade.
Para que conste, Silvano foi presidente da Câmara Municipal de Mirandela, timoneiro do Conselho de Administração do Metro local, director executivo da Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Tua, administrador do Complexo Agro-industrial do Cachão, da Empresa de Resíduos do Nordeste e do Hospital da Terra Quente [transmontana].
Curioso é que também Rui Rio foi secretário-geral do PSD, sob a liderança de Marcelo Rebelo de Sousa, mas, há 20 anos, aparentemente, José Maria não passava no «crivo» do actual timoneiro social-democrata.
Uma das raras credenciais de Rio e Silvano consiste no facto de José Maria substituir Barreiras Duarte.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com