Coimbra  30 de Novembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Luís Santos

Os senhores dos milhões

2 de Fevereiro 2017

Vem aí uma nova corrida a um cargo público, que promete dar que falar. A proposta do Governo para a reforma das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) põe a gestão dos fundos europeus nas mãos dos presidentes regionais, a eleger pelos autarcas.

No decreto-lei que o Executivo prepara existe a vontade de reforçar as atribuições das CCDR associadas à gestão de fundos europeus, que até à data se limitava aos fundos regionais, prevendo-se, agora, atribuições de planeamento e de gestão de todos os programas, mecanismos e fundos, incluindo ambiente, conservação da natureza e recursos hídricos, cultura, agricultura e florestas, desporto, economia, educação, juventude, mobilidade, ordenamento do território, transportes e turismo.

Estes novos “senhores dos milhões” irão integrar um conselho directivo (das CCDR) composto por um presidente, um vice-presidente e entre um e três vogais. Como vão ser escolhidos? – Por um colégio eleitoral constituído pelos membros das câmaras e das assembleias municipais do âmbito territorial das respectivas CCDR.

Conforme refere o “Expresso”, a intenção inicial do Governo era a eleição directa dos presidentes das CCDR, mas a oposição frontal do Presidente da República a este projecto, acabou por obrigar o primeiro-ministro a mudar de planos.

Quem deve já estar a fazer muitos planos são aqueles que pensam já em se candidatar a “senhor dos anéis”, perdão… dos milhões.