Coimbra  16 de Outubro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

José Reis

Óbito/Romero Magalhães: Historiador de mão-cheia e notável professor

24 de Dezembro 2018

Romero Magalhães, falecido hoje, foi um professor excepcional, um dos nossos mais marcantes historiadores, um mestre e um amigo, sendo merecedor da nossa mais profunda homenagem.

“Joaquim Romero Magalhães, um dos meus mais queridos professores, o que, em 1973, me deu a primeira aula e abriu a vida lectiva na Faculdade de Economia da UC”. Foi assim que me referi a ele, na Sala dos Capelos da Universidade de Coimbra, quando o quis citar a propósito de uma cerimónia académica.

Hoje, no dia da sua morte, quero homenageá-lo, de novo, e quero chorá-lo. Homenageá-lo como meu professor, meu colega e meu amigo.

Tenho por ele um carinho sem limites e expresso a admiração de um aluno que testemunhou e beneficiou da sua enormíssima qualidade pedagógica, da sua erudição e da sua palavra claríssima. A mesma que lhe ouvi, há dias, na Universidade do Algarve, onde o festejámos no momento em que lhe foi atribuído o doutoramento ‘honoris causa’ por aquela instituição e leu um texto lindíssimo.

Vim de lá com a alegria de estar com ele e de ele ser um dos nossos – nossos, da mesma faculdade; nossos, da mesma cidade – e com uma tristeza na alma: a sua voz mantinha a sabedoria, mantinha até o timbre, mas tinha perdido a energia. Hoje, sinto um perda enorme.

Aprendi com ele a conhecer o significado do tempo longo na História – da “longa duração” apontada por Fernand Braudel, o grande historiador que ele revelou aos estudantes do primeiro ano de Economia. E aprendi a perceber que a Economia é História, instituições, geografia, elites e poder, estruturas sociais e crises, impérios, empresas e trabalho, política. Temas sob os quais os seus colegas historiadores organizaram o belo livro de estudos em sua homenagem que publicaram em 2012 para assinalar a sua jubilação, com o título “Economia, instituições e império”.

Tudo o que foi desenvolvendo desde que escreveu a sua dissertação de licenciatura para o “Estudo do Algarve económico durante o século XVI”, publicada em 1970 e acabada de republicar, em Faro, compõe uma obra imensa.

Tenho na memória tudo o que recebi dele como aluno, colega e amigo. E é pessoalmente que o homenageio. Mas não posso deixar de me lembrar que era eu (seu aluno do primeiro ano) o director da Faculdade de Economia da UC quando se jubilou e que ele se sentava perto de mim nas reuniões do Conselho Científico até que encerrou formalmente a sua vida activa de professor. Não me esqueço do conforto que isso me dava.

 

(*) Ex-director da FEUC

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com