Coimbra  9 de Dezembro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Lino Vinhal

Não quererá Coimbra ser a cidade das rosas?

18 de Junho 2021

Não é pelos jardins que Coimbra se distingue. É verdade que há por aí alguns jardins razoavelmente conseguidos mas todos numa versão minimalista. E é pena porque se há terra que tem natural apetência para as flores é Coimbra e até a sua história não dispensa a evocação do milagre das rosas que, não tendo existido, atesta a proximidade antiga da cidade para com este embelezamento que é sempre elegante, atrai atenções, dispõe bem e até serve às vezes para desviar as atenções de outras coisas menos simpáticas. Isto não significa que os jardins de Coimbra estejam ao abandono ou sejam menos cuidados. Não é disso que se trata. Apenas lhes falta pujança, fulgor, até estatuto.

Coimbra merece mais e até podia pensar numa ideia que lhe seria muito adequada. Sendo a cidade das rosas pelas razões conhecidas, deveria ser esta a flor dominante nos jardins de Coimbra …e há rosas tão lindas, de tanta espécie e qualidade que certamente iriam encantar as pessoas. Mas temos poucas rosas e todas elas com cara de contrariadas. Sentem que se lhes dá pouca importância, que se lhes não reconhece a dignidade da flor por excelência de Coimbra, que se lhes não dispensa a atenção devida àquela que devia ser a flor de Coimbra.

Não será o seu jeito mais apurado, a sua aptidão mais desenvolvida, eventualmente não andarão por aí as suas paixões de sensibilidade, mas Manuel Machado – ou outro responsável – já pensou o quanto bonita ficaria a rotunda das Lages se oferecesse a quem entrasse na cidade por aquele lado um jardim robusto, um espaço cheio de rosas das mais variadas cores, muito florido, a impressionar pela sua capacidade cromática? Ou na Casa do Sal, para quem viesse do Norte? Ou naquele mamarracho que é e rotunda quadrada do Almegue? Ou lá em cima para quem vem dos lados da ponte da Portela? Mais ainda, já que estamos a falar nisso: os mesmos responsáveis já pensaram o quanto valeria em beleza, respeito histórico e simbologia se nessas rotundas, ou em algumas delas, existisse uma bonita estátua da Rainha Santa Isabel?

Coimbra não tem que fugir nem do seu passado nem envergonhar-se do seu presente. Faça-se bonita, alegre, cultora dos seus símbolos, abraçando as suas gentes. E estas, estas seguramente que veriam com bons olhos que a cidade fosse criando a sua singularidade que a distinguisse das demais. E com três ou quatro rotundas/jardins cheios de rosas, farfalhudos de pétalas das mais variadas cores, estamos em crer que com pouca coisa se conseguira belo efeito. Mais ainda se a tal estátua ou estátuas…. Se o Manuel Machado pegar na ideia prometemos levar uma dessas rosas à Cindazunda, que está para ali entristecida em frente à AutoIndustrial, farta de contar carros e respirar carbono. Então esta… de flores nem as cheira.