Coimbra  12 de Abril de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Hernâni Caniço

Motivação e preocupações sociais, para que vos quero

28 de Julho 2023

A sociedade é um bem que importa preservar, onde se relacionam pessoas e se criam laços, onde se executam acções que induzem o progresso, onde se promove o desenvolvimento sustentável. Ou não.

Continuando a analisar a sociedade, há quem ignore os problemas sociais, não correndo riscos desnecessários a fazer actividades a que não é obrigado, há quem seja voluntário e apoiante activo de causas e ideias (de forma regular ou não), há quem combata a pobreza e exclusão social (dando o seu contributo em esforço ou económico), e há quem tenha motivação e/ou interesse pela participação activa em clubes desportivos, grupos culturais, agremiações recreativas, associações cívicas, partidos políticos ou organizações humanitárias.

Ignorar os problemas sociais, não correndo riscos desnecessários a fazer actividades a que não é obrigado, pode ser considerado importante, para cada um ter a sua estabilidade pessoal e familiar exclusiva, por haver falta de criatividade e de senso humanista, ou por a pessoa ter a tendência para o isolamento. Ou pode ser tido como pouco importante, como prova de (in)sensibilidade social que não é desejável, por incompreensão dos problemas dos outros (o que se lamenta), ou por ter uma atitude condenável (devida a egoísmo).

Ser voluntário e apoiante activo de causas e ideias (de forma regular ou não), pode ser assumido como importante, por haver consciência sólida e voluntarismo fazedouro, por valorização dos direitos humanos como tal, ou por assumir um compromisso de participação na construção de mundo melhor. Ou pode ser achado como pouco importante, por julgar ser um dispêndio de tempo e recursos (além da maçada), por não entender o reconhecimento da cidadania como valor adicional, ou por haver sobrevalorização do percurso individual em si (e os seus ganhos, sem perda de tempo.

Combater a pobreza e exclusão social, dando o seu contributo em esforço ou donativo económico, pode ser apreciado como importante, por ser valorizado pela bondade e benfeitoria explícita, pelo exercício de cidadania e apoio a carências e distorções sociais, ou pela compreensão dos objectivos de desenvolvimento do milénio sustentável. Ou pode ser entendido como pouco importante, por ser um quadro social indesejado ou até desdenhável, por ter ideologia de supremacia de classe e estatuto de riqueza não partilhada, ou por haver seres desumanos ou malévolos (que os há).

Motivação

Ter motivação e/ou interesse pela participação activa em clubes desportivos, grupos culturais, agremiações recreativas, associações cívicas, partidos políticos ou organizações humanitárias, pode ser olhado como importante, por ser um desafio e coerência de atitude colectiva, por sentir a responsabilidade social e a satisfação pessoal simultânea, ou pelo anseio de liderança (quaisquer que sejam os incentivos). Ou pode ser visto como pouco importante, pela definição de negatividade e desvalia como pretexto, por estar fora da realidade colectiva e da inserção social, ou por uma manifestação de maledicência e desprezo.

A motivação para a acção social encontra-se na génese do ser, nas condições atribuídas e nos problemas encontrados, que não são poucos. Não se encontra nas desculpas de mau pagador, nem na criação de anticorpos nauseabundos.

As preocupações sociais manifestam-se pelo espírito democrático e participativo, pela intervenção em actos solidários, por resolução mesmo que parcial do objecto/ser frágil. Não se resolvem com lágrimas e suspiros, emoções sem acções, ou distanciamento das desgraças e tragédias.

Motivação e preocupações sociais, para que vos quero? Para ser gente como ser humano, para deixar legado de grandeza, valores e filantropia, para ser honrado por aqueles que importam: os beneficiários, a família e a sociedade.

(*) Médico