Coimbra  24 de Novembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

João Pardal

Maquis de Vale Soeiro: Relíquia Botânica a reserva Botânica

23 de Outubro 2020

Mata Vale Soeiro

O Maquis de Vale Soeiro, ou Mertolego, situa-se do lado esquerdo da EN 336, que liga Botão a Larçã, direcção Sul-Norte.

Esta pequena mata de características marcadamente mediterrânicas representa o sub-bosque da antiga floresta mediterrânica, povoada por espécies vegetais de folha persistente.

A mata é constituído por espécies, essencialmente arbustivas, de natureza perene, muitas delas de porte arbóreo.

O medronheiro (Arbutus unedo) e o carrasco (Quercus coccifera), de porte arbóreo, são as espécies dominantes, marcados pela presença do Carvalho português ou Carvalho cerquinho (Quercus faginea subsp. Broteroi) e alguns esparsos sobreiros (Quercus suber).

O estrato arbustivo é dominado pelo folhado (Viburnum tinus subsp. tinus) e a aroeira (Pistacia lentiscus), entre outros.
Ao visitante o maquis impressiona pela exuberância e pela densidade da sua vegetação.

O Outono é a melhor época do ano para o visitar. Neste período o branco das flores do medronheiro contrastarem com o vermelho vivo dos seus frutos já amadurecidos do ano anterior.
Por se tratar de um espaço de elevada importância em termos de conservação da natureza, porque não pensar na sua classificação como Reserva Botânica do Maquis de Vale Soeiro.

(*) Biólogo