Coimbra  16 de Julho de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

João Pinho

Fevereiro de cultura: concerto e debate

2 de Março 2018

Historiador e investigador

 

A Associação Cristã da Mocidade de Coimbra continua a concretizar o programa cultural do centenário a que deu o título de “A ACM na Cidade”. Sócios, convidados, interessados, ou simples curiosos, tiveram oportunidade de assistir no salão nobre, na rua de Alexandre Herculano, a um Fevereiro em cheio com duas iniciativas: um concerto e um debate.

No sábado, dia 17, pelas 21h30, realizou-se o concerto pelo “Duo Cordis”, com Paulo Figueiredo (ao piano) e Bruno Costa (à guitarra). Fausto Carvalho, presidente da associação, fez as honras da casa, assinalando a grande qualidade musical do duo. Na apresentação da iniciativa e dos intérpretes, Teresa Portugal, vice-presidente da instituição, recordou, aos presentes, a importância do centenário: «quisemos dar-lhe uma projecção justa pela história e pela influência na vida social da cidade».

Assim, havia que destacar a música de Coimbra, os novos caminhos, designadamente, as novas abordagens estéticas que têm vindo a conferir outra dimensão à música de Coimbra. Para dar força à sua ideia, recordou Carlos Paredes que um dia afirmara, sobre a guitarra de Coimbra: «O problema é este instrumento que pelas suas características me limita musicalmente».

No dia 22, pelas 21h30, realizou-se, nas referidas instalações, o debate “A Cidade, a Ciência e Inovação”, moderado pelo cientista e professor Carlos Fiolhais e tendo como convidados palestrantes: Teresa Mendes, directora do Instituto Pedro Nunes, e Seabra Santos, ex-reitor da Universidade de Coimbra.

Carlos Fiolhais lançou aos convidados várias perguntas. A Teresa Mendes colocou a questão «Como pode o IPN transformar a cidade e o país?» e, a Seabra Santos, «Como podemos ser um lugar melhor no futuro?».

Teresa Mendes recordou, na sua intervenção, a criação do IPN em 1991, numa lógica de ligação à cidade, um acto de descentralização através de parcerias, tendo como missão «fazer chegar a investigação e desenvolvimento tecnológico à vida social e empresarial».

Nas suas palavras, este ‘interface’ tem-se mantido, aproximando o ‘know how’ das empresas, disponibilizando competências universitárias para resolver problemas. No entanto, frisou, o resolver problemas custa dinheiro em termos de investigação e algumas empresas não conseguem pagar, pelo que o IPN tem procurado também auxiliar essas empresas na captação de fundos.

Para além da investigação, realçou uma segunda via de actuação do IPN: a criação de empresas de base tecnológica, que consistiu no início, numa revolução universitária, que conduziu os investigadores à criação de produtos para negócio. Recordou as empresas do tipo ‘spin off ‘ e o apoio da incubadora nos anos iniciais, bem como alguns casos de sucesso. Fez ainda referência ao facto do IPN ter apoiado até ao momento 270 empresas, estar em processo de expansão de instalações e a lógica e sucesso da aceleradora de empresas.

Seabra Santos, na sua intervenção, recordou o papel enquanto reitor na afirmação das áreas de investigação da UC, frisando o exempo mundial de Steve Jobs como inovador e antecipador de ideias e oportunidades. Enalteceu o exemplo de Coimbra, face a outras cidades, não só ao nível da integração de estudantes e investigadores, mas também na qualidade da criatividade artística e inovação típica das sociedades modernas: «Acarinhar a diferença e compreender a anormalidade, que tantas vezes trás em si a genialidade», foi o caminho que apontou.

Como dificuldades ao desenvolvimento da sociedade portuguesa apontou: a excessiva funcionalização e burocracia profissional, ou o comportamento de alguns políticos «na capacidade de juntar a palavra à acção». Factores que fazem olhar o futuro com alguma apreensão, considerando que estamos «no fio da navalha» e que temos de resvalar para uma economia à semelhança das melhores europeias: concorrencial e à escala mundial.

Após as respectivas intervenções seguiu-se uma animada troca de ideias entre convidados e plateia.

 

16 - ACM Actuação do Duo Cordis

ACM Actuação do Duo Cordis

16 - ACM Debate sobre a Cidade, a Ciência e a Inovação

ACM Debate sobre a Cidade, a Ciência e a Inovação

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com