Coimbra  23 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Vítor Parola

Fausto Correia: Nunca o esquecimento há-de vencer a memória

9 de Outubro 2020

Faz exatamente hoje, 13 anos, que Fausto Correia nos deixou. Faleceu no dia 09 de Outubro de 2007 em Bruxelas, onde era eurodeputado, com 55 anos. O seu coração, atraiçoou-o. Faleceu o Homem, O Pai, o Marido, o Amigo, o Irmão, o Político, que tanta falta fez a todos, mas sobretudo, à sua cidade, que tanto amava. E por isso, ficar-nos- ia mal, não o lembrar hoje, até porque, para além de mais, também foi deputado desta Assembleia Municipal, bem como de Miranda do Corvo, onde também foi Presidente dessa Assembleia.

Mas, Fausto Correia não foi só isso:

Foi advogado, consultor empresarial, professor, jornalista, administrador, escritor, dirigente e deputado.

Como jornalista integrou os quadros do ‘República’, foi um dos fundadores do diário ‘A Luta’, da Agência Noticiosa Portuguesa, Director do jornal “Despertar”, de Coimbra, Administrador da Radiodifusão Portuguesa e da Agência LUSA (Vice-Presidente da Direcção-Geral) e delegado da ANOP (Agência Noticiosa Portuguesa) em Coimbra.

Começou na política por acompanhar o Dr. Fernando Valle (Governador Civil do Distrito de Coimbra), sendo seu Vice-Governador.

Também foi,

Secretário-Coordenador da Federação Distrital de Coimbra (1978-1980, 1992-2000 e 2002-2003)

Membro da Comissão Nacional e da Comissão Política Nacional do PS (2002-2007) e Presidente da Mesa da Comissão Política da Federação de Coimbra (do PS)

Vice-Governador Civil de Coimbra.

Deputado na Assembleia da República (Círculo de Coimbra) nas IV, VII, VIII e IX Legislatura da Terceira República Portuguesa.

Membro dos XIII e XIV Governo Constitucional de Portugal (de António Guterres)

Secretário de Estado da Administração Pública, no XIII

Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, no XIV

Secretário de Estado Adjunto do Ministro de Estado, no XIV

Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro, no XIV

Deputado europeu (2004-2007):

Membro efectivo da Comissão Parlamentar das Liberdades Cívicas, Justiça e Assuntos Internos;

Membro efectivo da Delegação EU – Comunidade Andina;

Membro suplente das delegações para as Relações com o Mercosul e à Assembleia Parlamentar Euro-Latino-Americana.

Outras actividades:

Dirigente da Associação Académica de Coimbra;

Presidente da Associação Académica de Coimbra – Organismo Autónomo de Futebol (1995);

Co-fundador do Clube Académico de Coimbra;

Presidente da Mesa da Assembleia-geral da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Coimbra;

Presidente da Assembleia Geral do Olivais Futebol Clube.

Fausto Correia foi o responsável pelo projecto das Lojas do Cidadão e tinha o sonho de ser presidente da Câmara Municipal de Coimbra. Não o conseguindo cumprir.

No dia seguinte ao seu falecimento, o nosso Querido e também Saudoso Dr. António Arnaut, disse ao Diário de Notícias: “Fausto Correia só sabia fazer amigos”.

“Interrogo-me se não há qualquer injustiça, imanente ou transcendente, na morte de um homem aos 55 anos e quando se esperava ainda muito dele.”

“A vida não foi justa para com o Fausto”, concluiu, no entanto, o seu/nosso velho amigo, ainda acrescentou “Tinha 22 anos quando o conheci e foi pela minha mão e de Fernando Valle, que ele entrou [em 1973] para o PS”, recorda, emocionado, Arnaut. “Era um homem generoso” e que dava “grande valor e afectividade às causas que abraçava, como o PS, a maçonaria e Coimbra”. Ele era um ‘coimbrinha’, no “bom sentido do termo, pelo grande afecto que tinha à cidade”.

Carlos Beja, outro seu bom amigo. Disse: “Há homens que nunca morrem. O Fausto não morreu”, acredita, recordando o homem “fraterno, solidário, generoso”. Ele “só sabia fazer amigos”, sublinha, “chocadíssimo”,

Almeida Santos: “Amou Coimbra como poucos e a cidade retribuía amando-o também.”

Manuel Alegre também enaltece o “homem sempre fiel às suas amizades, aos ideais republicanos e socialistas”. Nas últimas presidenciais, Fausto apoiou Soares, mas isso “não pôs em causa a nossa amizade e afectividade”. Era, diz Alegre, “uma referência de Coimbra e do PS”.

Jorge Castilho, jornalista, lembra: “Ele tinha amigos em todas as áreas partidárias”.

Apesar das “nossas diferenças políticas”, o eurodeputado Luís Queiró (CDS/PP), também releva “as qualidades humanas” de um homem que “valorizava sobretudo a amizade”.

E, diz Luís Filipe Menezes, “o PSD também está de luto, porque Fausto Correia era uma grande referência da democracia portuguesa”.

Lembrar hoje, Fausto Correia, é não permitir, NUNCA, QUE O ESQUECIMENTO VENÇA A MEMÓRIA,

E ainda, deixar esta mensagem aos actuais deputados municipais:

Olhando esta Assembleia Municipal, e vindo à memória, momentos e intervenções, quer aqui feitas por alguns dos actuais deputados, quer nas redes sociais, pelos impropérios utilizados, aumentam as saudades de políticos conimbricenses, com as qualidades de Fausto Correia, Alberto Vilaça, António Arnaut, Barbosa de Melo, Mota Pinto, e outros.

(*) Intervenção do Deputado do PS na Assembleia Municipal de Coimbra