Coimbra  25 de Agosto de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Mário Carvalho

Estatísticas do rendimento a nível local

1 de Agosto 2019

Segundo notícias recentes, Coimbra emerge por entre os 308 municípios portugueses com rendimentos acima da média nacional, registando um nível de rendimentos individuais superiores a 10 000 euros e estando colocada no grupo dos 15 primeiros.

Este estudo que é avançado pelos jornais locais analisou indicadores do IRS de 2017 e pode ser consultado de forma mais objectiva no “site” do INE sob o título “Estatísticas do Rendimento ao Nível Local – indicadores de rendimento declarado no IRS 2017”.

Acresce que o mesmo se encontra dividido por Regiões Norte, Centro, Alentejo, Algarve, Autónoma dos Açores, Autónoma da Madeira e Área Metropolitana de Lisboa. Para uma referência nacional em termos de rendimentos fixada em 8 687 euros.

Assim sendo, é possível ao cidadão aceder de forma fácil e objectiva aos indicadores para das diferentes regiões e deste modo ter acesso directo ao estudo.

Assim, segundo os “Percentis de Rendimentos Bruto Declarado e do Rendimento Bruto declarado deduzido do IRS liquidado por agregado Fiscal, 2017”, relativamente à Região de Coimbra, que incorpora 18 Municípios, destacam-se, no topo, Coimbra, Figueira da Foz e Condeixa-a-Nova; seguindo-se Montemor-o-Velho, Soure e Lousã; Mira, Cantanhede, Penacova, Poiares; Miranda do Corvo e Pampilhosa da Serra; e no grupo dos com menores rendimentos: Penela, Góis Tábua, Arganil e Oliveira do Hospital.

Perante estes dados apraz-nos dizer que, e com base nestes indicadores de desenvolvimento local e regional, Coimbra alcança uma média de Rendimentos Individuais de registo, situando-se acima da média no que respeita ao restante território.

Por outro lado, existem diferenças “para baixo” no que aos concelhos situados mais em direcção ao Interior dizem respeito, mantendo-se as assimetrias que não são de agora e dão consistência á tese sobre que muita coisa continua por fazer em prol das regiões com densidade populacional mais baixa e mais afastadas do litoral.

Por outro lado ainda, e por ser uma questão que nos é próxima, também existem diferenças assinaláveis entre os municípios que fazem parte da região “Terras de Sicó”, nas quais podemos destacar Condeixa-a-Nova com maiores rendimentos e Penela no patamar mais inferior.

Assim sendo, segundo estes dados, afinal Coimbra não está assim tão mal como muitos querem fazer crer, seja por esta ou aquela motivação, mas também facilmente se tem a percepção que a tão apregoada “coesão territorial” tarda em abandonar a retórica política em direcção à prática e implementação no terreno.

Agora que por estes dias se voltou a falar de Regionalização como solução para todos os males, ganham legitimidade as populações que continuam a desconfiar de um sistema distributivo verdadeiramente equitativo, pois a riqueza continua sempre a tender para o mesmo lado.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com