Coimbra  25 de Abril de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Amnistia Internacional

Dois minutos para os Direitos Humanos

22 de Março 2024

ISRAEL/TPO

Numa declaração conjunta, 25 ONG lembram que o acesso sem restrições da ajuda humanitária por via terrestre à Faixa de Gaza é essencial, sublinhando que o transporte aéreo ou marítimo é um complemento ao transporte terrestre e não um substituto. Segundo a Classificação Integrada das Fases de Segurança Alimentar e Nutricional, a situação de fome que vivem as pessoas na Faixa de Gaza atingiu a maior proporção alguma vez registada numa população em crise de segurança alimentar.

ÁFRICA AUSTRAL

Um novo relatório da Amnistia Internacional evidencia como os governos do Malawi, da Zâmbia e do Zimbabué não estão a conseguir proteger as mulheres que trabalham no comércio informal transfronteiriço da violência baseada no género e da exploração económica, numa realidade que está a privar as trabalhadoras de verem os seus direitos humanos serem cumpridos no contexto de trabalho digno. Estas mulheres são, frequentemente, vítimas de agressões físicas, assédio sexual e intimidação.

 MÉXICO

De acordo com o Comité para a Protecção dos Jornalistas, o México é o país mais perigoso do hemisfério ocidental para os jornalistas. Além de estar, consistentemente, entre os dez países com o maior número de assassinatos de jornalistas que permanecem por resolver, é também aquele com mais jornalistas desaparecidos do mundo sem que nenhum caso tenha levado a uma condenação. Desde o início deste século, pelo menos 141 jornalistas e outros profissionais de comunicação foram mortos.

PORTUGAL

Look for Freedom é a nova campanha que transformou burcas abandonadas por mulheres afegãs em aviões, em peças de roupa que simbolizam a liberdade e a luta pelos direitos das mulheres no Afeganistão. O projecto resulta de uma ideia conjunta da designer Katty Xiomara e da política e activista Zarifa Ghafari, – tendo criatividade da agência Havas – com o objectivo de divulgar a petição da Amnistia Internacional que pressiona para melhores condições de vida para as mulheres e meninas afegãs.

PAQUISTÃO

Desde 26 de Fevereiro que as chuvas fortes e a queda de neve no Paquistão provocaram a morte de, pelo menos, 45 pessoas. Além disso, verificou-se a perda de casas, gado, culturas e infra-estruturas essenciais em zonas do país que ainda não tinham recuperado do impacto devastador das cheias de 2022. A Amnistia Internacional insta o governo paquistanês a não limitar a sua actuação ao apoio de emergência, garantindo também assistência quanto à segurança alimentar e reconstrução.