Coimbra  26 de Setembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

DECO Centro

Digitalização na Saúde

19 de Dezembro 2019

Digitilização da Saúde

Se há uns anos lhe dissessem que poderia marcar consultas pela Internet, talvez pensasse que seria algo pouco provável de acontecer. Mas a verdade é que a digitalização dos serviços públicos também já chegou ao sector da Saúde.

Através do Portal do Sistema Nacional de Saúde, na área do cidadão já é possível marcar consultas online e pedir medicação crónica, facilitando a vida a muitos utentes, evitando deslocações e perdas de tempo.

Para aceder aos seus dados, ao seu Registo de Saúde Electrónico (SER), terá de autenticar e provar a sua identidade, o que pode ser feito com o cartão de cidadão, se tiver um leitor de cartões, ou através da chave móvel digital.

O RSE reúne informação relativa à saúde de cada cidadão, sendo possível aceder, por exemplo, ao boletim de vacinas e a dados registados por profissionais de saúde de várias entidades públicas e privadas, que prestam cuidados de saúde e têm sistemas informáticos compatíveis com o usado pelo Ministério da Saúde.

Este mecanismo permite marcar consultas nos cuidados de saúde primários, onde se incluem as Unidades de Saúde Familiar e as Unidades de Cuidados de Saúde Personalizados. Esta operação só é possível se a unidade de saúde a que pertence carregar, mensalmente, as vagas disponíveis, o que, por vezes, não acontece. As consultas nos hospitais, por norma, não podem ser marcadas pelo utente, sendo apenas possível verificar a agenda.

Os doentes crónicos podem pedir a prescrição dos medicamentos que tomam habitualmente. A receita electrónica é válida por 30 dias ou seis meses (receita renovável), os mesmos prazos das prescrições feitas em consultório. Para obter o medicamento na farmácia, basta apresentar o cartão do cidadão.

É ainda possível através da plataforma consultar os resultados de exames médicos e obter declarações de presença ou o certificado de incapacidade temporária.

Para mais informações poderá consultar o site www.deco.proteste.pt.

Os leitores interessados em obter esclarecimentos relacionados com os seus direitos enquanto consumidores, bem como resolver os seus problemas, podem recorrer ao Gabinete de Apoio ao Consumidor da DECO, bastando, para isso, escreverem para a DECO – Rua Padre Estêvão Cabral, 79-5º, Sala 504-3000-317 Coimbra ou para deco.coimbra@deco.pt