Coimbra  21 de Setembro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Américo Baptista dos Santos

Dia do Antigo Estudante de Coimbra: Ponto de vista para proposta de unidade (XIV)

27 de Agosto 2021

Nestas 14 semanas, o que era para ser uma crónica transformou-se num debate, sem precedentes, numa análise e troca de ideias a respeito da celebração do dia do antigo estudante de Coimbra.

Tornou-se, sem dar por isso, num arquivo mor do passo, com a promessa de tudo trazer à luz do dia, dado como somos, ao risco. Promessa de levar até ao limite a tarefa, mais do que o voto feito à Rainha Santa para obter a graça da qualidade, tempo e saúde de executar a função proposta.

Seja como for, se outra coisa não está a ser conseguida, pelo menos, abriu-se o dossiê, que se encontrava em volto em penumbroso diálogo de surdos. É certo que metemos ombro a uma empreitada para a qual temos espádua pequena. Porém, a robustez que nos falta na capacidade é compensada pela vontade interior de não deixar as coisas a meio. Neste particular, não é fácil, porque cada cavadela, sua minhoca e tendo esta idade elas já habitam na cabeça, não sob a forma de ideias pré concebidas mas talvez de mania como teima ou capricho no sentido grego de loucura.

Vem tudo isto de mais uma empreitada, que tendo bons arquitetos tem a obra entregue a fraco empreiteiro. A empresa (nova) é descortinar o pensamento dos antigos dirigentes da academia, agora todos já antigos estudantes mas com autoridade própria de quem teve as mãos na massa.

Perante tão imenso desafio, eis que Hércules veio em nosso socorro. Só um semideus com tamanha robustez e valentia nos podia acudir. Fez-se-nos luz, quando não radiante e luminosa, ao menos lâmpada com interruptor alheio. Outra vez. Desta, à boleia de Ricardo Roque, Presidente da AAC em 1984/85, na viatura da AAECL e sua Capa e Batina Nº55 / ESPECIAL 2020. Para evitar o plágio e achando que as aspas não chegam, solicitámos, no dia 24 do mês passado, aos nossos companheiros alfacinhas que nos autorizassem a servir-nos de alguns testemunhos desses dirigentes “celebrizadores” do 1º centenário da Tomada da Bastilha – 1920/ 2020.

Seguindo as regras de funcionamento da direção, a Presidente Fátima Lencastre consultou todos os membros, bem como o Zé Veloso e o Ricardo Roque, sobre o nosso pedido de utilização dos textos e houve unanimidade de concordância.

Aqueles a quem puder abordar, assim faremos em paralelo ou em singelo. A alguns é impossível, por gozarem já o sono dos justos. Com uns e outros, marcamos encontro. Com estes últimos quanto mais tarde melhor, apesar da esperança na vida eterna.

Ex-Presidente da AAEC