Coimbra  22 de Setembro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Luís Santos

Ângulo Inverso: Rio vai andar às voltas por aí

27 de Agosto 2021

O líder do PSD, Rui Rio, procura nestas eleições autárquicas manter-se à tona de água. Com as sondagens desfavoráveis em relação ao PS, vai fazer tudo para continuar a boiar.

Não é por acaso que Rui Rio arrancou, nesta quarta-feira, no distrito do Porto, para a sua ‘volta’ pelo país a um mês das autárquicas de 26 de Setembro, já com ritmo de campanha eleitoral.

Em 2017, o PSD teve o seu pior resultado autárquico de sempre (e que levou à demissão do então presidente Pedro Passos Coelho): os sociais-democratas perderam oito Câmaras em relação a 2013 e conquistaram 98 presidências (79 sozinhos e 19 em coligação), embora sem grandes variações em termos de votos e percentagens, tendo o partido somado, sozinho, 16,08% dos votos (contra os 16,7% de 2013).

A estrutura de campanha será pequena, com um carro de apoio e um carro-palco, de onde Rui Rio poderá fazer as intervenções ou prestar esclarecimentos à comunicação social. A volta do líder “laranja” privilegiará médios e pequenos concelhos, onde a Direcção do PSD considera que a presença de Rui Rio pode ter “mais influência no resultado final”.

No fim-de-semana, Rio estará no Algarve, sendo o ‘ponto alto’ desta primeira semana na estrada o Fórum Nacional Autárquico, no sábado em Faro, coincidindo com a realização, na mesma região, do Congresso do PS, marcado para Portimão.

No Fórum estão previstas intervenções de cerca de uma dezena de candidatos, entre eles os cabeças-de-lista a Lisboa, Carlos Moedas, ao Porto, Vladimiro Feliz, a Setúbal, Fernando Negrão, à Amadora, Suzana Garcia, ou à Figueira da Foz, Pedro Machado, entre outros.

Só a última semana de campanha está ainda por fechar, mas será nesse período que Rui Rio se deverá juntar aos candidatos às principais Câmaras do país, onde não faltará Coimbra.

Pelo menos, até essa altura, não estão previstos nesta ‘volta’ os tradicionais jantares-comício com militantes, devido às restrições ainda impostas pela pandemia de covid-19. E, por enquanto, e seguindo a lei em vigor pelo menos até 12 de Setembro, o uso de máscara será obrigatório em todas as iniciativas.

Nas autárquicas de 26 de Setembro, o PSD concorre sozinho a 153 municípios, integra 146 coligações (lidera 142 e as outras quatro são encabeçadas pelo CDS-PP), e em nove concelhos apoia listas de cidadãos independentes (a maioria nos Açores e na Madeira).