Coimbra  20 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Luís Santos

Ângulo Inverso: E tudo o vento levou…

16 de Outubro 2020

Leslie prejuízos

 

Há dois anos (na noite de 13 para 14 de Outubro), a tempestade Leslie atingiu uma parte significativa da região Centro, com o distrito de Coimbra a ser o mais afectado, tendo provocado prejuízos de pelo menos 120 milhões de euros, com apenas metade a ser coberta pelas seguradoras (28 000 sinistro participados).

Para recuperar bens e infraestruturas os particulares, empresas e colectividades tiveram que avançar com dinheiro, o mesmo acontecendo com as Câmaras Municipais, que recorreram a todos os meios disponíveis para fazer face aos enormes estragos.

O Município de Montemor-o-Velho, no Baixo Mondego, registou danos de cerca de 20 milhões de euros, a grande maioria relacionada com a agricultura da região, caracterizada pelas culturas de arroz e milho. Coimbra (perto de nove milhões de euros), Soure (mais de seis milhões de euros), Cantanhede (quase cinco milhões de euros), Condeixa-a-Nova (cerca de quatro milhões de euros) e Mira (136 mil euros) foram outros dos grandes afectados.

Perante tudo isto o que fez o Governo? Em 2019 aprovou um apoio de 1,4 milhões de euros para os 24 Municípios afectados pela passagem da tempestade Leslie, e, agora, antevendo protestos, anunciou que autoriza a transferência de mais 3,6 milhões de euros para as autarquias.

Isto é que se pode chamar um bom negócio! O Governo – se pagar – entrega 5 milhões de euros, para um prejuízo total de 120 milhões de euros.

Que a Rainha Santa, Nossa Senhora de Fátima e todos os Santos e Santas nos livrem das tempestades! Os portugueses daqui parece que não pagam impostos para o todo nacional. Quando depois precisam, nem às pinguinhas vem!