Coimbra  26 de Maio de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Luís Santos

Ângulo Inverso: CMC e as freguesias – dar a mão à palmatória

23 de Janeiro 2020

Câmara Coimbra bandeiras

À segunda foi de vez que a Assembleia Municipal de Coimbra aprovou o Orçamento e as Grandes Opções do Plano para o corrente ano, o que deveria ter acontecido em Dezembro, mas os documentos foram chumbados.

O que se passou desde aí até agora foi que o Executivo socialista, que anteriormente não pareceu dado a entendimentos, teve de se chegar à frente e ir falar com a CDU (PCP), que tem um vereador a tempo inteiro e com pelouro da Câmara.

Para além dos eventuais ganhos para os cidadãos do concelho de Coimbra que se conseguiu obter, o essencial é que o entendimento evidenciou o que desde há muito os presidentes de Junta de Freguesia diziam: não conseguiam fazer obras.

Isto fica agora reconhecido nas palavras textuais do presidente da Câmara, Manuel Machado, que declarou, como compromisso: “Recuperação dos desvios na execução das obras pelas freguesias, garantindo a entrega dos projectos necessários à conclusão das obras de todas as Juntas de Freguesia referentes aos anos 2017, 2018 e 2019, durante o 1.º semestre deste ano e, até Setembro deste ano, das obras do ano de 2020, cujas propostas tenham sido apresentadas pelas respectivas Juntas de Freguesia durante o 1.º trimestre deste ano, desencadeando-se o processo de consulta às freguesias logo após a aprovação do Orçamento em Assembleia Municipal, de forma a possibilitar que estas apresentem os planos no prazo solicitado”.

Aqui fica registado, porque aquelas palavras não foram escritas na areia, nem devem ser levadas pelo vento.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com