Coimbra  25 de Agosto de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Rui Avelar

Aeroporto: Explique-se, Manuel Machado

28 de Junho 2018

Por imperativo de cidadania, Manuel Machado deverá dar explicações, sexta-feira (29), perante a Assembleia Municipal de Coimbra, sobre a pretensão de construir um aeroporto na periferia da cidade.
O órgão de fiscalização da Câmara conimbricense reúne-se volvidos três meses sobre a adjudicação, por 20 000 euros, à empresa CONPROJUR, de um trabalho para “revisão estratégica dos planos municipais para a mobilidade aérea”.
Há uma semana, a principal autarquia de Coimbra e a Associação para o Desenvolvimento da Engenharia Civil outorgaram um contrato que habilita a ACIV a pronunciar-se sobre uma “solução técnica e cálculo de custos com vista a expansão da pista do aeródromo” de Antanhol e Cernache, desembolsando a Câmara mais 22 000 euros.
Isto apesar de o líder do Município ter negado ao vereador independente José Manuel Silva acesso ao dossiê da eventual transformação do referido aeródromo em aeroporto internacional.
Segundo o Diário de Coimbra, Manuel Machado “já reconheceu que a solução para o futuro aeroporto regional pode não passar pela ampliação do aeródromo” de Bissaya Barreto.
Pouco antes das mais recentes eleições locais, o economista preconizou a transformação do aeródromo de Antanhol e Cernache em infra-estrutura aeroportuária com outra envergadura.
Ao ser investido para quinto mandato na liderança do Município de Coimbra, em Outubro de 2017, Manuel Machado voltou a acenar com um aeroporto internacional.
O autarca disse tratar-se de “um projecto a iniciar de imediato, partindo de estudos que a Câmara encomendou e pagou, noutros períodos”, sem que lhes haja sido dada sequência.
Contudo, no canal da Câmara conimbricense no Youtube, há, desde 10 de Fevereiro de 2017, um vídeo alusivo a uma intervenção pública do líder do Município com o economista a considerar que a acessibilidade à mobilidade aérea na região Centro passa “por uma solução tão simples” como a abertura da base de Monte Real (Leiria) à aviação civil.
No sobredito vídeo, Manuel Machado afirma ser “tempo de se pensar (…) que ajudar o Interior a desenvolver-se é criar esta via de comunicação a partir de Monte Real”.
Só vislumbro uma possibilidade de Manuel Machado não dar explicações, sexta-feira (29), à Assembleia Municipal de Coimbra, e ela consiste em o autarca ter rumado a Beauvais (França), a 85 quilómetros de Paris, para «comprar» mil dos 4 000 metros da pista do aeroporto local. Beauvais fica com três quilómetros de pista e a de Antanhol e Cernache atinge, assim, a extensão recomendada (aproximada a 2 000 metros).

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com