Coimbra  18 de Maio de 2022 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Carlos Cidade

Académica, um permanente desafio, mas tem solução!

29 de Abril 2022

Estamos num momento triste para Coimbra, face aos acontecimentos desportivos já aqui referenciados.

Naturalmente o que no momento preocupa a todos e está em reflexão é o tema da AAC/OAF, que aliás tem estado sempre em reflexão, desde Congressos, fóruns diversos, opinion makers, face à sua amplitude e enquadramento nas competições nacionais do futebol profissional, e aqui apenas me vou referir ao Organismo Autónomo de Futebol.

Sabemos que o tempo não volta para trás, sabemos dos recentes êxitos com a última vitória da Taça de Portugal e a sequente participação nas competições da UEFA, na Liga Europa que a todos nos encheu de orgulho e galvanizou, mas não conseguimos aproveitar esta alavanca para garantir um futuro de estabilidade, quando todos esperávamos que assim fosse e ao contrário de todas as expectativas, assim não aconteceu.

A Académica é uma verdadeira instituição desportiva, mas as alterações introduzidas no futebol a nível internacional e nacional, a sua cada vez maior empresarialização, a sua vertente cada vez mais mercantilista, a sua integração como indústria numa economia global, veio alterar o paradigma do futebol e direi mesmo, desvirtuar a verdadeira e pura competição desportiva, apesar do grande esforço que muitos fazem para contrariar!

Também no futebol os mercados passaram a comandar! A desconfiança quanto à verdade desportiva é permanente! Os mais fortes são cada vez mais fortes e tem um mercado a disputar! Os mais fracos entram na luta, mas numa luta desigual!

No entanto, os mais fortes precisam dos mais fracos para a competição, pois o que seria deles sem os outros participarem na competição! E é neste quadro competitivo, que nos movimentamos e que a Académica é chamada a participar!

Não tenho qualquer dúvida de que a Académica tem por mérito próprio um lugar importante e de referência no panorama do futebol nacional e tem que lutar sempre com os seus valores, pois representa uma instituição com 130 anos, a instituição desportiva mais ecléctica que se conhece!

Curiosamente, nós temos sempre que fazer um duplo esforço nesta competitividade, que é o facto de fazer os sacrifícios que este actual mundo do futebol nos exige, mas também o de procurar conciliar com os nossos valores e princípios!

Neste momento exige-se a todos nós contribuir e lutar para ultrapassar estes momentos difíceis e dolorosos, apesar das muitas sombras que pairam sobre nós, principalmente não desgastar a instituição, mas sim encontrar caminhos que nos unam a todos.

Importante, agora, é percebermos que o Organismo Autónomo de Futebol da Associação Académica de Coimbra é das instituições desportivas que dispõe de boas infraestruturas, aliás superiores a muitos clubes que hoje disputam as 1.ª e 2.ª Liga e isso só se deve à Câmara Municipal de Coimbra, desde a concessão do Estádio Cidade de Coimbra, a concessão dos terrenos para a Academia XXI, no Bolão, e o pontapé de saída para a sua construção.

Neste contexto, é necessário trabalhar, o que preciso for, para que se recupere, no imediato, a performance desportiva que todos esperamos dela.

Bem sei que isso não basta, pois o problema gestionário é um problema para combater em igualdade com os restantes adversários, mas sou daqueles que tendo opinião formada sobre esse problema concreto, tenho também a humildade suficiente para perceber que algo mais será necessário fazer, mas com todos!

Quanto à Câmara Municipal, a revisão do Acordo Utilização do Estádio Cidade de Coimbra, apoio logístico nas infraestruturas desportivas, nomeadamente da Academia Briosa XXI.

Quanto à Universidade, com a Direcção-Geral da AAC, quanto à utilização dos espaços desportivos da UC e o apoio às secções desportivas da AAC.

Quanto ao mundo empresarial de Coimbra e da nossa Região, é possível outro tipo de apoio mais consistente, se verificarem que haverá um rumo claro e que tem a colaboração das importantes instituições da cidade, quer da Câmara Municipal de Coimbra, quer da Universidade.

Só esta envolvência de TODOS, pode alterar o actual estado de coisas e naturalmente a palavra decisiva dos sócios da instituição.

Esta minha intervenção apenas me responsabiliza a mim como cidadão de Coimbra, que me empenho nas causas da AAC/OAF e como homem do desporto, não comprometendo o Partido Socialista sobre esta matéria.

(*) Vereador do PS e com o pelouro do Desporto no anterior mandato na Câmara de Coimbra