Coimbra  26 de Junho de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Voluntariado é a luta dos Bombeiros de Pombal que celebram 107 anos

18 de Maio 2019

Foi a 14 de Maio de 1912 que um grupo de homens, em Pombal, se uniu em prol da missão de “dar vida por vida” e ajudar os outros, colocando-os em primeiro lugar. Nascia assim a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Pombal, que assinalaram, esta terça (14), o seu 107.º aniversário, com a formatura geral, seguido do toque da sirene e salva de morteiros.

As comemorações oficiais decorrem no próximo domingo (19), a partir das 15h00, com nova formatura geral e o hastear das bandeiras no quartel-sede, seguida de desfile apeado até ao Monumento do Bombeiro.

Pelas 15h20, realiza-se a homenagem aos bombeiros e directores já falecidos, numa cerimónia religiosa presidida pelo padre João Paulo Vaz, junto ao mesmo Monumento. A formatura geral e a integração do estandarte estão previstas para as 16h30 e, 10 minutos mais tarde, as entidades e demais convidados são recebidos para o início da cerimónia oficial, também a ter lugar no quartel-sede.

Durante a cerimónia, 16 novos bombeiros farão o seu juramento de ingresso na carreira e serão condecorados os elementos que assinalam cinco, 10, 15 e 20 anos de assiduidade nos Bombeiros Voluntários de Pombal. Outros tantos operacionais serão distinguidos pela passagem ao quadro de honra e será, ainda, benzida uma nova viatura, uma ambulância de socorro, adquirida através de um protocolo com o INEM.

Serão, ainda, entregues aos bombeiros capacetes doados por uma associação francesa e 60 Equipamentos de Protecção Individual, adquiridos com os fundos angariados em várias iniciativas solidárias a favor da Associação (vide caixa).

Às 17h40 realiza-se o tradicional desfile do corpo de bombeiros e da frota automóvel, com a sessão solene prevista para as 18h30. Às 20h00, dá-se início ao jantar-convívio no quartel-sede.

Para o comandante Paulo Albano, há cerca de quatro anos a liderar a corporação, “esta é uma forma de juntar todos os bombeiros no mesmo quartel, o que nem sempre é possível”. “Somos, no fundo, três companhias e este é um momento bastante importante, não só pelo convívio, mas para recebermos os outros bombeiros na nossa casa. Não é só durante os fogos”, salienta o responsável.

E acrescenta: “é importante assinalarmos 107 anos de existência, é com a história com que construímos o futuro”.

Futuro esse que preocupa bastante quer o comando, quer a Direcção da Associação, pela cada vez maior falta de voluntários para se juntarem à corporação.

Falta de disponibilidade é a principal razão apontada

No total, actualmente, o corpo activo dos Bombeiros Voluntários de Pombal conta com cerca de 180 efectivos, tendo havido escolas de estagiários nos últimos anos, ainda que com poucos elementos. Contudo, neste próximo ano, não irá haver nova recruta por falta de inscrições.

“Em termos de voluntariado as coisas estão a complicar-se porque há pouca disponibilidade das pessoas, por razões profissionais ou familiares, também os jovens vão estudar para fora do concelho e não é fácil”, reconhece o presidente da Associação, Sérgio Gomes.

O foco está, por isso, em tentar atrair as atenções, nomeadamente dos jovens, e levá-los a quererem voluntariar-se para os bombeiros. Para tal, têm sido realizadas diversas iniciativas, quer em escolas, como em juntas de freguesia e, também, no Facebook, de forma a mais facilmente chegar até ao público-alvo.

Contrariamente à falta de voluntários, uma das conquistas da Associação este ano foi a passagem de mais três elementos para a carreira de profissional, perfazendo um total de 45 bombeiros profissionais (e simultaneamente voluntários).

A passagem de mais elementos para bombeiro profissional é um dos objectivos de futuro da Associação, uma vez que, à falta de voluntários, ter profissionais que assegurem o trabalho é imprescindível.

“A ideia é passar mais bombeiros para essa situação porque durante o dia o serviço voluntário fica bastante prejudicado, já que os operacionais têm os seus próprios empregos, o que não lhes permite estarem disponíveis para a actividade de bombeiro. Fazem os piquetes à noite, mas durante o dia recorremos cada vez mais aos nossos bombeiros profissionais”, esclarece o presidente, assumindo que o total do quadro activo (cerca de 180 elementos), “parecem muitos, mas dada a extensão do concelho e a dispersão em termos de companhia, não são suficientes”.

E se, a nível humano, muitos nunca são demais, em relação à frota, a Associação tem conseguido manter os meios funcionais e suficientes (com cerca de 60 viaturas) para responder às necessidades da população.

“Ao longo dos últimos anos temos feito um reforço em termos de ambulâncias de socorro e de transporte de doentes, já no que diz respeito aos veículos de combate a incêndios florestais e urbanos estamos apetrechados, mas fazem sempre falta mais, como um veículo de desencarceramento e um outro de combate a incêndios florestais”. No entanto, “tendo em conta as necessidades, em termos de veículos e materiais, temos em quantidade e qualidade”, assegura.

Além do quartel-sede, a Associação tem outras três secções, correspondentes às secções de Albergaria dos Doze (3.ª Companhia), do Louriçal (4.ª Companhia), da Guia (5.ª Companhia) e do destacamento do Carriço, pelo que é necessário dispersar as atenções por todos eles. Vão-se, por isso, fazendo manutenções recorrentes nos cinco espaços, à medida das necessidades e possibilidades.

O presidente Sérgio Gomes orgulha-se deste corpo activo que, “há 107 anos que está ao serviço da comunidade pombalense e do país”. “Os bombeiros de Pombal são dos que mais visibilidade têm a nível nacional, quer através da quantidade de efectivos, quer pela qualidade dos serviços prestados”, assume o responsável, sublinhando que “será mais um ano em prol da população, sempre com o objectivo de melhorar e de prestar melhor o socorro, para que continuem a confiar em nós”.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com