Coimbra  27 de Maio de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Violência doméstica é alvo de marcha em Coimbra

7 de Março 2019

Sensibilização para o flagelo da violência doméstica é o objectivo de uma marcha que terá lugar, sábado (16h00), em Coimbra.
As pessoas intervenientes podem ser portadoras de «t-shirt» preta alusiva ao movimento “Nós por elas”, o qual é membro da organização do evento a par da psicóloga Maria José Carrilho e da jurista Nélia de Oliveira.
A iniciativa, com concentração na praça da República, visa alertar para a necessidade de “pôr fim à ineficácia das respostas dadas” aos casos de mais de 500 mulheres que, em 15 anos, morreram assassinadas pelos companheiros de algum momento da vida delas.
Dois pequenos grupos de manifestantes irão depositar no Ministério Público e no Tribunal da comarca de Coimbra placas alusivas ao flagelo.
A marcha desce pela avenida de Sá da Bandeira, acompanhada pela Filarmónica de Arazede, havendo lugar a actuação de um coro na praça de 08 de Maio, e prossegue até ao parque de Manuel Braga, local de onde irão ser atiradas ao rio Mondego, simbolicamente, mais de 500 flores.
O combate ao flagelo, considerado crime público, requer uma conduta de cidadania activa por parte de todas as pessoas, pois desde 2000 qualquer cidadão pode alertar para casos de violência doméstica de que possua conhecimento.
Informação sobre o assunto está acessível através da linha telefónica 800 202 148.
Estima-se que só este ano já morreram em Portugal 12 mulheres vítimas de violência doméstica.