Coimbra  2 de Julho de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Veículo do futuro desenvolvido por empresa portuguesa e pela UC

28 de Novembro 2016

O AGV – Automated Guided Vehicle, produzido pela empresa Active Space Technologies em colaboração com a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), trata-se de um veículo inovador de condução autónoma e foi apresentado, na semana passada, na EMAF – Feira Internacional de Máquinas, Equipamentos e Serviços para a Indústria, que decorreu na Exponor, Feira Internacional no Porto.

Esta nova viatura, que poderá vir a revolucionar a fábrica do futuro, foi desenvolvido para apoiar a designada indústria 4.0, caracterizada por uma grande flexibilidade e ritmos de produção muito elevados.

Com a Active Space Technologies estiveram a trabalhar seis investigadores do Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores da FCTUC, que se encontram a desenvolver um sistema de posicionamento (que se poderá assemelhar a um GPS interior) para o AGV, “baseado numa tecnologia vanguardista e que será integrado no veículo num futuro próximo”, revela a UC.

O AGV, que já está a ser utilizado pela Autoeuropa, conta com uma arquitectura inovadora, circula sem condutor e integra diversos componentes “que o orientam em percursos o orientam em percursos preestabelecidos, de forma autónoma e rápida, e tem uma capacidade de carga muito elevada, de 800 quilogramas”, explica Luís Coelho, responsável da Indústria da Active Space Technologies.

Por outro lado, Luís Coelho refere, ainda, que “este AGV tem um nível de flexibilidade bastante elevado, adaptando-se às estruturas existentes nas fábricas actuais, o que permite ganhos significativos em todo o processo de produção”.

O novo veículo foi desenvolvido no âmbito de um projecto de investigação financiado pelo Programa Comunitário Horizonte 2020 e já se encontra em fase de comercialização. Contudo, a equipa vai prosseguir com os estudos com o objectivo de tornar este veículo omnidirecional, dando mais flexibilidade ao produto.