Coimbra  20 de Julho de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Universidades de Aveiro, Porto e Lisboa na primeira aliança europeia

26 de Junho 2019

As universidades de Lisboa, Porto e Aveiro foram seleccionadas para fazer parte das primeiras 17 alianças de Universidades Europeias, uma iniciativa lançada para fomentar a cooperação entre os estabelecimentos de ensino superior na União Europeia.

O executivo comunitário anunciou, hoje, que recebeu 54 candidaturas de alianças, envolvendo mais de três centenas de universidades dos 28 Estados-membros, tendo decidido avançar, numa primeira fase, com a selecção de 17 alianças, que englobam 114 estabelecimentos de ensino superior de 24 Estados-Membros, entre os quais três portugueses.

A Universidade de Lisboa fará parte da UNITE (University Network for Innovation, Technology and Engineering, composta por sete instituições de ensino superior de outros tantos Estados-membros), a Universidade do Porto integra a aliança EUGLOH (European University Aliance for Global Health, composta por cinco universidades), e a Universidade de Aveiro faz parte da ECIUn (European Consortium of Innovative Universities, que engloba 11 estabelecimentos de ensino superior).

O processo de selecção foi feito com base numa avaliação realizada por 26 peritos externos independentes, incluindo reitores, professores e investigadores, nomeados pela Comissão Europeia.

A Comissão Europeia explica que “as Universidades Europeias são alianças transnacionais de estabelecimentos de ensino superior de toda a UE que partilham uma estratégia de longo prazo e promovem os valores e a identidade europeus”, visando esta iniciativa “reforçar significativamente a mobilidade dos estudantes e do pessoal e promover a qualidade, a inclusão e a competitividade do ensino superior europeu”.

As Universidades Europeias tornar-se-ão campus interuniversitários em torno dos quais os estudantes, os doutorandos, o pessoal e os investigadores podem circular sem barreiras.

Estas primeiras 17 alianças têm disponível um orçamento máximo de 85 milhões de euros, recebendo cada até cinco milhões de euros nos três próximos anos, “para implementar os seus planos e começar a mostrar o caminho a outros estabelecimentos de ensino superior em toda a UE”.

Bruxelas garante que “os seus progressos serão acompanhados de perto” e, no próximo Outono, a Comissão Europeia lançará um novo convite à apresentação de propostas para novas alianças universitárias.

“Congratulo-me por ver a ambição das primeiras 17 Universidades Europeias, que funcionarão como modelos para as outras em toda a UE. Permitirão às próximas gerações de estudantes adquirir uma experiência da Europa, estudando em diferentes países. Estou convencido de que esta iniciativa, que constitui um elemento essencial do Espaço Europeu da Educação, constituirá um verdadeiro factor de mudança para o ensino superior na Europa, promovendo a excelência e a inclusão”, declarou o comissário europeu da Educação, Tibor Navracsics.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com