Coimbra  19 de Outubro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Universidade de Aveiro coordena projecto de alojamento local na Gândara

18 de Junho 2019

A universidade de Aveiro (UA) vai coordenar cientificamente o projecto “Gândara TourSensations”, uma rede de unidades de alojamento local em casas tradicionais gandaresas.

A iniciativa, que envolve os municípios de Cantanhede, Mira e Vagos, foi hoje anunciada e tem como objectivo a “dinamização do sector turístico da região, mas também a defesa do património”, refere a UA.

Contando com o apoio das três autarquias, das juntas de freguesia, de proprietários e de empresários do sector turístico, o projecto tem duração de dois anos, representando um investimento global de quase 300 000 euros, financiado em 80 por cento pela Linha de Apoio à Sustentabilidade do Turismo de Portugal.

Carlos Costa, professor e director do departamento de Economia, Gestão, Engenharia Idustrial e Turismo, e Dina Ramos, docente e investigadora do mesmo departamento, são os coordenadores da equipa que desenvolve o projecto.

“Gândara TourSensations” tem como ambição “estruturar uma rede de unidades de alojamento local ancorada nas casas gandaresas, integrando-a nas ofertas turísticas da região, enquanto produto distintivo, e em complementaridade com os demais produtos turísticos da região da Gândara”, afirma, ainda, a UA.

A casa gandaresa é uma estrutura tradicional rural característica da região da Gândara, que vai desde as Gafanhas da ria de Aveiro até aos campos do Baixo Mondego. É uma construção térrea em formato de “L”, com um pátio fechado, telhado de duas águas e construída de adobes de areia e cal, secos ao sol.

As fachadas das casas são formadas por uma sequência de janela-porta-janela e um largo portão de duas folhas, que permitia a passagem dos carros de bois e respectivas carradas de produtos agrícolas.

Segundo a Universidade de Aveiro “a casa gandaresa reflectia a organização social e a importância da actividade agrícola na economia familiar e da região”.

Nos últimos anos, as três autarquias anteriormente referidas, sob a liderança de Vagos, têm apostado na recuperação e preservação da casa gandaresa. Em Mira, a autarquia ergueu fachadas simbólicas de diversas casas gandaresas nas freguesias.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com