Coimbra  28 de Setembro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

UC relembra o massacre de Santa Cruz, em Timor, com vários eventos

9 de Dezembro 2016 Jornal Campeão: UC relembra o massacre de Santa Cruz, em Timor, com vários eventos

“Timor: Imagens e palavras que mudaram o mundo” é o nome do evento, promovido pela Universidade de Coimbra (UC), que vai decorrer entre hoje e a próxima sexta-feira (16), com o objectivo de assinalar os 25 anos do massacre de Santa Cruz e os 20 anos do Nobel da Paz atribuído a Ximenes Belo e José Ramos-Horta.

As actividades programadas incluem a exibição de documentários, uma exposição, debates e uma sessão evocativa com a presença dos dois prémios Nobel da Paz e do jornalista inglês Max Stahl, que filmou e divulgou o massacre de Santa Cruz, em Timor, em 1991.

A sessão evocativa está marcada para terça-feira (13), no Teatro Académico de Gil Vicente (TAGV), pelas 17h00, seguindo-se a exibição do documentário “A Língua, a Luta, a Nação”, de Max Stahl, sobre “o papel da língua portuguesa no processo de construção da nação timorense”, referiu o vice-reitor da UC, Joaquim Ramos de Carvalho, sublinhando que este é um assunto caro à instituição, por se querer assumir como entidade “de referência” na divulgação e promoção da língua.

A programação deste evento começa hoje, na Casa das Caldeiras, com o colóquio “Timor: mil palavras, mil imagens”, em que participam investigadores que abordam a relação entre os ‘media’ e o processo de independência de Timor-Leste e jornalistas que acompanharam esse mesmo processo.

O evento termina com uma conferência de Max Stahl, intitulada “CAMSTL [Centro Audiovisual Max Stahl Timor-Leste]: Timor, o nascimento de uma nação”.

Carlos Camponez, da organização do evento, refere que o caso de Timor é um dos que “de facto, a cobertura jornalística foi importante para mudar o curso dos acontecimentos” no país.

O colóquio pretende, por isso, “reflectir e trazer à memória o contexto” do processo de independência de Timor, com a participação de jornalistas que “vão relatar como viveram [o processo] e como viram esse tempo”.

Na próxima segunda-feira (12), é promovido um debate com antigos estudantes da Universidade de Coimbra que estiveram presentes no massacre de Santa Cruz e até sexta-feira (16) serão exibidos documentários sobre Timor e estará patente uma exposição no TAGV intitulada “Timor: Uma História de Ontem, Estórias de Hoje”.