Coimbra  23 de Julho de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

UC recomenda prática clínica para evitar a depressão na gravidez

3 de Novembro 2023 Jornal Campeão: UC recomenda prática clínica para evitar a depressão na gravidez

A rede de investigação liderada pela Universidade de Coimbra (UC) pretende prevenir, diagnosticar e tratar a depressão no período perinatal (fase que decorre durante a gravidez até um ano após o parto).

São 44 as orientações que tem como objectivo orientar e apoiar a tomada de decisão de profissionais de saúde e pacientes para que, em conjunto, possam definir o acompanhamento e tratamento mais adequados à realidade de cada mulher.

As orientações foram desenvolvidas pela rede Research Innovation and Sustainable Pan-European Network in Peripartum Depression Disorder (Riseup-PPD), financiada pelo European Cooperation in Science and Technology (COST), destinado a apoiar redes de investigação e inovação que promovam a cooperação em investigação na Europa.

A rede, coordenada pela Universidade de Coimbra, envolve investigadores e profissionais oriundos de 31 países, incluindo Portugal.

Na próxima terça-feira (7), membros da Riseup-PPD vão apresentar as recomendações para prevenir, diagnosticar e tratar a depressão perinatal no Parlamento Europeu. A apresentação decorre entre as 12h30 e as 14h00 (horário de Bruxelas).

A equipa será recebida pela eurodeputada alemã Maria Noichl.

Segundo Ana Ganho Ávila, investigadora do Centro de Investigação em Neuropsicologia e Intervenção Cognitivo-Comportamental (CINEICC) da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra (FPCEUC) e coordenadora da Riseup-PPD, “para prevenir a depressão perinatal e disponibilizar um diagnóstico atempado seguido de um tratamento adequado, é fundamental ter recomendações para a prática clínica, sobre a prevenção, diagnóstico e diferentes opções de tratamento, baseadas em evidência”.

Revela ainda que “a gravidez e o primeiro ano após o parto (o denominado período perinatal) são “períodos de mudanças psicológicas, fisiológicas e sociais tremendas na vida das mulheres, e estima-se que uma em cada cinco mulheres possa vir a ter problemas de saúde mental durante este período, sendo a depressão e a ansiedade os problemas mais prevalentes”.

Neste contexto, o grupo da Riseup-PPD, responsável pelo desenvolvimento de recomendações para a prática clínica (Clinical Guidelines Group), liderado pela investigadora do CINEICC e psicóloga clínica do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, Mariana Moura-Ramos, elaborou o documento Evidence-Based Guidelines for Prevention, Screening and Treatment of Peripartum Depression.

Cada uma das 44 recomendações é direccionada a vários profissionais de saúde, nomeadamente das áreas de psiquiatria, psicologia, enfermagem, obstetrícia ou pediatria que, no seu contexto profissional, contactam com mulheres e parceiros em momentos como o planeamento da maternidade, a gravidez ou o primeiro ano após o nascimento, que podem vir a sofrer de depressão ou que tenham já sintomatologia.

Ana Ganho Ávila reforça: “É fundamental que mulheres, seus parceiros e profissionais de saúde tenham conhecimentos sobre a prevenção da saúde mental nesta fase, dado que a depressão perinatal afecta negativamente a mãe e a sua saúde, a saúde e o desenvolvimento do bebé, e afecta ainda laços e relações familiares”.

“Esperamos que esta reunião promova a discussão sobre a saúde mental no período perinatal e que coloque esta questão tão importante na agenda política nacional e internacional em toda a Europa”, remata Ana Ávila.