Coimbra  25 de Fevereiro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

UC desenvolve solução para fazer a auscultação convencional nos pacientes covid-19

15 de Dezembro 2020 Jornal Campeão: UC desenvolve solução para fazer a auscultação convencional nos pacientes covid-19

Uma equipa de cientistas da Universidade de Coimbra (UC) desenvolveu uma solução tecnológica que permite auscultar os pacientes covid-19 de forma segura, com uma ligação remota entre o estetoscópio colocado no doente e o médico, através de um telemóvel Android, um estetoscópio electrónico comercial e uns auriculares.

Sendo o estetoscópio um instrumento essencial na prática da medicina, a pandemia de covid-19 obrigou os médicos, especialmente os pneumologistas e internistas, a abandonar este meio de diagnóstico, devido às medidas de protecção individual exigidas aos profissionais de saúde e à imposição de uma distância segura dos pacientes infectados, para evitar o risco de contágio.

Assim, a impossibilidade do uso do estetoscópio gera dificuldades no diagnóstico e na avaliação adequada dos pacientes com covid-19 e obriga a recorrer a outros meios de diagnóstico mais dispendiosos, como o raio X ou ecografia. Contudo, este obstáculo acaba de ser ultrapassado com a solução tecnológica desenvolvida por uma equipa de cientistas da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), em parceria com os médicos Carlos Robalo Cordeiro e Tiago Alfaro, do Serviço de Pneumologia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC).

Segundo a UC, os cientistas este software, cuja ligação pode ser efectuada por cabo ou por sistema bluetooth, “é uma solução de engenharia muito simples, mas que resolve um grande problema operacional que os médicos enfrentam, permitindo restabelecer o uso de um instrumento essencial de diagnóstico e prognóstico”, afirmam os autores da solução, Henrique Madeira, João Santos e Paulo de Carvalho, do Centro de Informática e Sistemas da Universidade de Coimbra (CISUC).

“Com a auscultação pulmonar ouvem-se e distinguem-se sons característicos de diversas situações clínicas broncopulmonares. Com esta solução será possível obter essas úteis informações de modo remoto e permitir uma tomada de posição terapêutica sustentada”, salienta, por seu lado, o pneumologista Carlos Robalo Cordeiro.

A solução vai ser disponibilizada gratuitamente a toda a comunidade médica internacional. Para tal, basta efectuar o ‘download’ da aplicação “SafeSteth” na Google Play Store e adquirir um estetoscópio electrónico Littmann, cujo valor comercial varia entre 200 e 300 euros.

Os investigadores vão, também, colocar o código fonte (software) em domínio público, de forma a que outros cientistas possam contribuir para melhorar e / ou alargar as funcionalidades da solução agora desenvolvida.

Esta tecnologia foi criada no âmbito do projecto de investigação “Lung@ICU – Ferramentas avançadas para diagnóstico e prognóstico em pneumologia @ Cuidados Intensivos”, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), centrado no desenvolvimento de um conjunto integrado de ferramentas de diagnóstico e prognóstico baseado em Inteligência Artificial (IA), com base em auscultação remota de som torácico e tomografia por impedância eléctrica (EIT).

Este projecto tem como objectivo “dar resposta a três grandes desafios enfrentados nos actuais ambientes hospitalares para combater doenças pandémicas: dificuldades no diagnóstico e avaliação adequada dos pacientes com covid-19, escassez de profissionais treinados em pneumologia e unidades de cuidados intensivos (UCI) e necessidade de ferramentas de apoio à decisão adequadas para o diagnóstico e prognóstico preciso da evolução da doença”, adiantam os investigadores.