Coimbra  28 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Turismo do Centro quer apoio para salvar micro e pequenas empresas

24 de Setembro 2020 Jornal Campeão: Turismo do Centro quer apoio para salvar micro e pequenas empresas

O presidente da Turismo do Centro, Pedro Machado, pediu uma linha de apoios a fundo perdido para salvar da “morte certa” centenas de micro e pequenas empresas ligadas à actividade turística, cuja sobrevivência está em risco devido à pandemia.

Pedro Machado designa como “incentivo não reembolsável” este apoio a fundo perdido, dizendo que, se nada for feito, “os efeitos devastadores da pandemia vão levar à mortalidade intensiva de micro e pequenas empresas a partir de Outubro”.

O líder daquela Entidade Regional propõe que o apoio seja concedido durante seis meses e tendo como referência o número de postos de trabalho da cada empresa, muitas delas de natureza familiar.

Pedro Machado sugere um apoio temporário mensal não reembolsável de mil euros por trabalhador, no mínimo.

“É uma solução para, até Março de 2021, almofadar as perdas de que estas empresas não vão conseguir recuperar”, defende o presidente da Turismo do Centro.

Nos cem municípios do Centro de Portugal existem 450 empresas/agências de viagem, 897 empresas de animação turística, 187 rent-a-car e 16 587 bares e restaurantes, segundo dados da Turismo do Centro.

“Só no canal Horeca temos 20 413 empresas, que representam 7,1 por cento do peso total da economia do Centro”, avança Pedro Machado, lembrando que muitas são micro e pequenas empresas em dificuldades por causa da pandemia covid-19.

O chamado “canal Horeca” abrange os estabelecimentos de hotelaria, restauração e cafetaria em Portugal, garantindo informação actualizada aos profissionais de Retalho, Produção e Logística.