Coimbra  11 de Dezembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Turismo do Centro marca presença na maior feira de artesanato

29 de Novembro 2019

O Turismo do Centro é uma das entidades que está presente na maior feira de artesanato do mundo, em Milão (Itália).

A 24.ª edição da L´Artigiano in Fiera, que tem início amanhã (30) e termina a 08 de Dezembro, contará com o Centro de Portugal, que se associa à Associação de Artesãos da Serra da Estrela, marcando presença com um stand com áreas reservadas à gastronomia regional e à animação musical.

Na feira estarão, ainda, representados 20 expositores das mais diferentes actividades artesanais.
A estimativa é de que o certame supere os 1,2 milhões de visitantes da edição de 2018, que puderam conhecer cerca de 3 000 artesãos de perto de 100 países, que ali mostram produtos típicos ao lado de criações originais, estando unidos pela excelência na fabricação.

Entidades regionais de turismo devem servir de modelo para regionalização

Pedro Machado, presidente da Turismo de Portugal, defendeu, hoje, que as entidades regionais de turismo devem servir de modelo para a criação de regiões políticas e administrativas, sendo um erro transferir competências nesta área para as actuais comissões de coordenação.

O responsável afirmou à agência Lusa que “acompanha vivamente” a posição do presidente da Associação de Municípios, Manuel Machado, que defendeu, ontem (28), “que é tempo de ultrapassar o tabu da regionalização”, encarada como “a oportunidade para a modernização do Estado” português.

O presidente da Turismo do Centro deixa, no entanto, alguns alertas para a maneira como deve ser conduzido o processo, adiantando que a regionalização na área do turismo deve ser acompanhada de “meios técnicos, humanos e de recursos”, para ser eficaz.

Pedro Machado defende que a divisão do país em regiões administrativas deve também ser acompanhada “pela revisão do modelo” das actuais Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), já que “a experiência dos últimos anos mostra que tem havido muita coordenação e pouco planeamento”.

O líder da entidade regional diz que concentrar competências do turismo nas CCDRC é um erro, lamentando que “alguns membros do Governo” tenham publicamente defendido essa possibilidade, “contrariando o programa do Governo e até o espírito” do primeiro-ministro.

“Tal como aconteceu recentemente na área da Saúde, acho que o chefe do Governo pode estar a receber informações erradas”, refere Machado, que lembra que o modelo das regiões de Turismo envolve os privados, que integram até os respectivos órgãos dirigentes.

Considera “um erro técnico querer colocar na máquina administrativa do Estado as organizações que hoje elegem e são eleitas nos colégios regionais e que participam no modelo de governação das organizações regionais do turismo”.

O responsável da Turismo do Centro, entidade que agrupa 100 municípios, diz ainda que a concentração de competências de turismo na máquina do Estado “é afastar de forma deliberada os agentes privados que estão hoje associados ao sector e que dessa forma não vão poder participar no modelo de governação das comissões de coordenação”.

Machado garante que as entidades regionais “clamam vir a assumir competências que estão na esfera do Turismo de Portugal, no sentido de optimizar a cadeia de serviços”, reforçando o seu trabalho e presença em todo o território nacional.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com