Coimbra  21 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Troleicarros voltam às ruas de Coimbra quase um ano depois

3 de Maio 2018 Jornal Campeão: Troleicarros voltam às ruas de Coimbra quase um ano depois

Os troleicarros vão voltar este mês às ruas de Coimbra, quase um ano depois de terem deixado de circular, disse o vereador da Câmara e presidente dos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos da cidade, Jorge Alves.

O regresso dos veículos movidos a electricidade (alimentados por cabos aéreos, cuja rede é composta por subestações rectificadoras e por linhas aéreas) ocorrerá “até final de Maio”, assegurou, em declarações à agência Lusa, o presidente do Conselho de Administração dos Serviços Municipalizados Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC).

As emblemáticas viaturas, que integram a rede de transportes públicos de Coimbra há sete décadas, foram retiradas da circulação em Junho de 2017, para serem reparadas, tanto a nível do motor como da carroçaria, e para trabalhos na rede de tracção, recorda o responsável, que já tinha previsto em Março o mês de Maio como o período de regresso dos troleicarros.

O equipamento instalado é, em grande parte, de meados do século passado (quando não havia grandes preocupações com consumos de energia e ambientais), mas os trabalhos agora efectuados na rede de tracção não dispensam uma intervenção de fundo, no sentido de a modernizar e a tornar mais eficiente.

“Estamos na fase final de preparação” dos cinco ‘troleis’ para voltarem a funcionar nas linhas 04 e 103 dos SMTUC, que, servindo “a zona histórica e cultural da cidade”, ligam a Estação Nova, na “Baixa” de Coimbra, aos Olivais, através, respectivamente, da Cruz de Celas e da Universidade (Pólo I, classificado Património Mundial).

“Agora é necessário incentivar a utilização dos troleicarros”, designadamente junto da população mais jovem, não apenas enquanto transporte público, mas também enquanto elemento da “memória colectiva da cidade”, como também eram os carros eléctricos, mas que deixaram de circular em Coimbra em 1980, lamenta Jorge Alves.

Dos 12 troleicarros que os SMTUC possuem, apenas cinco reúnem “condições para circularem com segurança” e oferecendo algum conforto, sustenta o responsável, referindo que os restantes sete veículos serão “aproveitados para fornecer peças” (parte das quais já não há no mercado) para assegurar a manutenção e reparação das viaturas que se mantém em serviço, a mais recente das quais é de 2010.

Para além daquele ‘trólei’ de 2010 – um Trolino, modelo da marca polaca Solaris (fabricado em parceria com a divisão checa da empresa Cegelec) -, os SMTUC mantêm em funcionamento quatro troleicarros da Efacec, todos do início da década de 1980, o que faz com que Coimbra seja o único centro urbano da Península Ibérica com este meio de transporte em funcionamento (a cidade espanhola de Castelló de la Plana utiliza, no seu ‘metro sobre pneus’, um sistema similar ao dos troleicarros).

Coimbra foi a primeira cidade portuguesa a introduzir, em 1947, os troleicarros na sua rede de transportes colectivos. Porto e Braga são os dois outros centros urbanos do país que também adoptaram este meio de transporte, em 1959 e em 1963, respectivamente, mas que abandonaram em 1997 (Porto) e em 1979 (Braga).

Já em relação aos carros eléctricos, Coimbra foi, em 1911, o quarto dos cinco centros urbanos do país a adoptarem este meio de transporte, depois do Porto (1895), de Lisboa (1901) e de Sintra (1904) e antes de Braga (1914).

Para além dos cinco troleicarros, os SMTUC, suportados pelo Município, dispõem actualmente de 138 autocarros.