Coimbra  5 de Dezembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Tribunal da Relação volta a ser palco do Festival Sofia até Dezembro

9 de Julho 2019

Emília Martins, directora da OCC, e Luís Mendes, presidente do Tribunal da Relação de Coimbra 

 

A parceria entre a Orquestra Clássica do Centro (OCC) e o Tribunal da Relação de Coimbra volta a dar frutos, este ano, para a II edição do Festival Sofia – Concertos no Palácio da Justiça, que teve início já no mês de Junho e prolonga-se até Dezembro.

À semelhança do ano passado, o objectivo deste ciclo de concertos passa por “dotar a rua da Sofia, tanto quanto possível, de animação cultural adequada à monumentalidade da própria rua, com cinco séculos, que sendo Património da Humanidade tem de ter eventos culturais regulares”, explicou Luís Mendes, presidente do Tribunal da Relação de Coimbra. O responsável adiantou, ainda, que o propósito passa, igualmente, “pela abertura do Palácio aos cidadãos e à cidade, através destas iniciativas culturais”, em espaços magníficos para a realização deste tipo de eventos.

“É muito importante se conseguirmos projectar o sucesso destes concertos no país”, sublinhou Luís Mendes.

Já Emília Martins, directora da OCC, revelou que para todos é muito importante “a capacidade de fazer acontecer do Tribunal da Relação e de dar a possibilidade às pessoas e à cidade de vir ao Palácio da Justiça por razões diferentes das habituais”.

Para a OCC, este tipo de eventos, em que se associam a outras entidades, “é muito interessante para aquilo que a Orquestra deve representar na cidade e na região”.

O sucesso do Festival, em 2018, ditou a realização desta segunda edição e continua a ser “um incentivo para que tenha continuidade”, revelou Emília Martins.

O ciclo permite, assim, “atrair e fixar públicos, ao mesmo tempo que dá a conhecer espaços emblemáticos como os do Palácio da Justiça e entidades como a OCC”, adiantou.

O programa teve início já em meados de Junho, prossegue amanhã (10), pelas 17h30, com o concerto “Serenatas com a Lua por perto”, nos claustros do Palácio e entradas gratuitas. Apresentam-se o quarteto de cordas da OCC, com o tenor Mário João Alves e obras de G. Donizetti, E. Elgar ou O. Respighi. As entradas são gratuitas.

O Festival continua depois de uma paragem em Agosto, no dia 20 de Setembro (quarteto de cordas da OCC e Pedro Caeiro, no acordeão); a 04 de Outubro será a vez de Carlos Gutkin, na guitarra clássica, e Ana Paula Russo, soprano; segue-se, no mesmo mês, mas dia 18, David Wyn Lloyd com viola d´arco e Jed Barahal, no violoncelo; a 08 de Novembro actuarão os sopros da OCC; dia 15 ecoam o clarinete de Pedro Ladeira, a guitarra portuguesa de Custódio Castelo e a guitarra clássica de Miguel Carvalhinho. Por fim, o último concerto desta segunda edição realiza-se a 18 de Dezembro, sob o tema do Natal, e contará com a soprano Nathalie Gal; o clarinete de César Ramos e o piano de Luís Rodrigues.

Este é um ano particularmente especial para a Orquestra Clássica do Centro, que completa 18 anos de actividade, e para Emília Martins esta parceria é “uma das marcas mais importantes dos últimos anos, que dá esperança para que a cidade continue a fazer história, a valorizar e a promover o seu património”.

Também para o presidente do Tribunal da Relação, Luís Mendes, esta parceria e o Festival Sofia são “o ex-libris cultural” daquele espaço público, prometendo mais colaborações em projectos culturais para os próximos tempos.

Os bilhetes para todo o ciclo têm o custo de oito euros por concerto, já quando comprados individualmente o valor será de 10 euros.

As reservas e mais informações podem ser obtidas através do e-mail da OCC: occ@orquestraclassicadocentro.org.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com