Coimbra  29 de Novembro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Três praias fluviais de Pampilhosa da Serra distinguidas com “Qualidade de Ouro”

21 de Maio 2021 Jornal Campeão: Três praias fluviais de Pampilhosa da Serra distinguidas com “Qualidade de Ouro”

As praias fluviais de Janeiro de Baixo, Pessegueiro e Santa Luzia, em Pampilhosa da Serra, contam novamente, na época balnear de 2021, com o galardão “Qualidade de Ouro”.

A distinção, que reconhece a qualidade da água balnear das praias portuguesas, foi atribuída pela Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza, depois de, recentemente, ter sido confirmada, pela Associação Bandeira Azul da Europa, a atribuição da Bandeira Azul a estes espaços balneares.

Para a obtenção da classificação “Praia com Qualidade de Ouro”, a Quercus refere, em comunicado, que, de acordo com as normas definidas em 2021, deverão ser respeitados critérios como a “qualidade da água excelente nas últimas cinco épocas balneares (de 2016 a 2020)”. As praias deverão ainda apresentar resultados igualmente imaculados nas rigorosas análises à água, efectuadas na última época balnear (2020), sendo que também não se pode ter registado “qualquer tipo de ocorrência/aviso de desaconselhamento da prática balnear”, no ano anterior à atribuição.

De acordo com a Câmara Municipal de Pampilhosa da Serra, desde 2012 que o galardão “Qualidade de Ouro” tem sido sucessivamente atribuído a praias fluviais do concelho, “facto que espelha não só a qualidade da água do concelho, como também a preocupação do Município com a preservação ambiental e a valorização do património natural do território”.

Para a época balnear de 2021, a Quercus identificou 391 praias (costeiras e fluviais), com “Qualidade de Ouro em Portugal”, mais cinco do que em 2020.

À semelhança do ano passado, a Quercus “reforça a necessidade de serem cumpridas, por parte dos banhistas, as regras sanitárias definidas pela Direcção-Geral da Saúde aquando da frequência das zonas balneares. Assim, a Associação apela ao “bom comportamento cívico” e ao “planeamento prévio das deslocações às praias, no sentido de evitar grandes aglomerados de pessoas” nos acessos e no areal.