Coimbra  15 de Julho de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Transportes Urbanos de Coimbra abatem 17 veículos em fim de vida

22 de Abril 2024 Jornal Campeão: Transportes Urbanos de Coimbra abatem 17 veículos em fim de vida

Os Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC) abateram 17 veículos que “estavam fora de serviço há vários anos”, considerados assim em fim de vida.

A recolha destes veículos resulta de um concurso público para venda de sucata, aberto nos termos do Código dos Contratos Públicos e ganho por uma empresa especializada no ramo. Os veículos foram retirados, ao longo da semana passada, das instalações dos SMTUC, na Guarda Inglesa.

Com o abate destes 8 autocarros standard, 7 troleicarros, 1 minibus e 1 minibus eléctrico, os SMTUC passam a dispor de mais espaço no seu parque automóvel, o que vai permitir uma melhor gestão do parque. Para além disso, esta operação vai garantir o tratamento adequado de todo o tipo de resíduos associados a veículos em fim de vida.

Os SMTUC continuam, assim, a dar seguimento ao Plano de Renovação da Frota, aprovado na reunião de Câmara de 8 de Maio de 2023, que, recorde-se, num cenário a concretizar até 2030, uma taxa de imobilização de 15% e a entrada de 15 novos autocarros por ano, num investimento total de cerca de 40 milhões de euros.

Nesse sentido, o Município recordar que, desde Março deste ano, se encontram ao serviço dos cidadãos 10 novos autocarros standard eléctricos, e desde Janeiro deste ano, 12 minibus eléctricos, todos adquiridos pela Câmara de Coimbra através de uma candidatura dos SMTUC ao Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR).

Mais recentemente, na reunião de Câmara de 15 de Abril, foi aprovada uma candidatura ao Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para a compra de 30 autocarros eléctricos novos, num investimento global de 13 milhões de euros (ME). A proposta, aprovada por unanimidade, prevê um investimento global de 13 milhões euros, com cerca de cinco milhões de euros suportados pela Câmara de Coimbra e o restante pelo PRR.