Coimbra  17 de Maio de 2022 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Trânsito cortado na rua dos Mártires da Tragédia do Mondego

2 de Março 2022 Jornal Campeão: Trânsito cortado na rua dos Mártires da Tragédia do Mondego

No âmbito da requalificação em curso, foi cortada esta manhã a circulação viária no pontão na rua dos Mártires da Tragédia do Mondego, na localidade de Pé de Cão. No início da empreitada, a 21 de Fevereiro, a Câmara Municipal de Coimbra considerou “manter a circulação com condicionamentos pontuais de trânsito, situação que teve de ser revista depois de verificadas condições geotécnicas diferentes das previstas no projecto inicial. A supressão da circulação viária tornou-se imprescindível por questões de segurança para os trabalhadores e para os utentes da via e terá a duração previsível de três semanas”, explica a autarquia.

O Município deu início, a 21 de Fevereiro, ao alargamento do pontão na rua dos Mártires da Tragédia do Mondego, na localidade de Pé de Cão, na União das Freguesias de S. Martinho do Bispo e Ribeiro de Frades, uma empreitada integrada na zona 1 da ampla empreitada de estabilização de muros e taludes em 10 áreas diferentes do concelho, que representa um investimento global de 308.045,25 euros (IVA incluído).

“Apesar de não estar previsto no início da empreitada, o corte de trânsito tornou-se imprescindível por questões de segurança depois de verificadas condições geotécnicas diferentes das previstas no projeto inicial”, sublinha.

A supressão da circulação viária iniciou-se hoje e terá a duração previsível de três semanas, o que implica que o acesso ao Centro Social S. João seja realizado pela alameda da Feira e rua Principal das Parreiras. Já na rua Tragédia dos Mártires, do lado do rio irá ser colocada sinalética de corte de trânsito a 500 metros, permitindo assim os acessos existentes em terra. A conclusão desta obra deverá ocorrer até 14 de Abril deste ano.

A empreitada em curso prevê um novo tabuleiro para o pontão, executado em laje de betão maciça armada com selagem dos varões nervurados ao tabuleiro existente, passando a ter uma largura de 6m para vias de circulação automóvel e 0.75m de largura para circulação pedonal em cada sentido, limitadas por guardas metálicas de protecção.

Foi ainda contemplada uma abertura na parede resistente do pontão, bem como trabalhos de sustentação provisórios por forma a manter o coletor de águas residuais existente em funcionamento.

Recorde-se que esta é uma empreitada mais ampla, prevendo-se a requalificação e reparação de taludes, de estruturas de contenção e de outros elementos estruturais necessários à estabilização das infraestruturas, em especial no que respeita às plataformas viárias e à consequente circulação rodoviária e pedonal em segurança.

A avaliação de locais críticos levou à elaboração, pelos serviços municipais, de projectos, tendo a adjudicação da empreitada ocorrido em agosto e a consignação em Novembro de 2021. As obras vão avançar faseadas em 10 zonas, consistindo, essencialmente, na requalificação e execução de muros de suporte e de contenção em betão armado, gabião e elementos pré-fabricados de betão para a estabilização de taludes; para além, então, da requalificação deste pontão que não permite a circulação rodoviária e pedonal em segurança face à sua reduzida largura.

A empreitada foi adjudicada à empresa Nortins Engenharia, Lda., tendo um prazo de execução de 180 dias.

Para além da zona 1 (alargamento do pontão na rua dos Mártires da Tragédia do Mondego), as zonas a intervencionar são as seguintes:

Zona 2 – Muro de Suporte no Campo da Moita Santa – Freguesia de Cernache

Zona 3 – Muro na Estrada Principal – Vale de Cântaro – União das Freguesias de Assafarge e Antanhol

Zona 4 – Muro de Suporte na Travessa do Poço de Água – Freguesia de Santo António dos Olivais

Zona 5 – Urbanização Quinta da Fonte – Requalificação dos Muros e Espaço Exterior – Freguesia de Santo António dos Olivais

Zona 6 – Muro de Suporte na Rua da Liberdade – Palheiros – Freguesia de Torres do Mondego

Zona 7 – Muro na Rua da Cova – Fontinhosa – União das Freguesias de Assafarge e Antanhol

Zona 8 – Muro na Rua Quinta da Galheta – Fornos – União das Freguesias de Trouxemil e Torre de Vilela

Zona 9 – Muro na Travessa Comandante Bento – União das Freguesias de Assafarge e Antanhol

Zona 10 – Muro na Urbanização da Rua de Aveiro – União das Freguesias de Coimbra