Coimbra  14 de Junho de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Trabalhadores de equipamentos desportivos da Câmara de Coimbra entram em greve

10 de Novembro 2023 Jornal Campeão: Trabalhadores de equipamentos desportivos da Câmara de Coimbra entram em greve

Cerca de 20 trabalhadores de equipamentos desportivos municipais de Coimbra vão iniciar na segunda-feira uma greve de um mês às duas primeiras ou últimas horas do turno, afirmou o Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL).

A Direcção Regional do STAL afirma que se inicia na segunda-feira uma greve de um mês às duas primeiras ou duas últimas horas de cada turno de trabalhadores do Complexo Olímpico de Piscinas, das Piscinas Municipais Rui Abreu, das Piscinas Municipais Luís Lopes da Conceição, do Pavilhão Mário Mexia e da Pista de Atletismo.

A greve abrange cerca de 20 trabalhadores que manuseiam dinheiro na sua actividade laboral e que reivindicam uma promessa do actual presidente da Câmara de Coimbra, José Manuel Silva, na altura candidato autárquico, do pagamento do abono para falhas, em dívida entre os anos de 2013 e 2017, refere a Direcção Regional de Coimbra do STAL.

Segundo o sindicato, após um processo em Tribunal, o abono para falhas passou a ser pago a partir de 2017, mas os trabalhadores sempre exigiram o pagamento dos valores em falta desde 2013.

“Em plena campanha eleitoral, nas últimas eleições autárquicas, o então candidato José Manuel Silva prometeu aos trabalhadores, numa visita ao Complexo Olímpico das Piscinas, que, caso fosse eleito, pagaria o abono para falhas em falta, pois era um direito dos trabalhadores”, salienta o sindicato.

Agora, o sindicato acusa o presidente de não cumprir com a sua promessa eleitoral, referindo que os trabalhadores não desistem de reaver esse dinheiro.

Em resposta à agência Lusa, a Câmara de Coimbra refere que o pagamento retroactivo do abono de falhas “é um assunto que ainda se encontra em Tribunal para decisão”, pedindo aos trabalhadores que aguardem “a sentença para se resolver a situação”.

O Município salienta ainda que as chefias e a vereação “sempre foram sensíveis às solicitações dos trabalhadores que visam melhorar as suas condições de trabalho”.