Coimbra  27 de Setembro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Teatro Académico de Gil Vicente celebra 60 anos com ciclo de actividades

15 de Setembro 2021 Jornal Campeão: Teatro Académico de Gil Vicente celebra 60 anos com ciclo de actividades

O Teatro Académico de Gil Vicente (TAGV) celebra os 60 anos de actividade em Coimbra com um ciclo de acções que inclui teatro, música, debate, cinema e dança num programa que pretende chegar a diferentes públicos.

O ciclo, que vai de 17 de Setembro a 16 de Dezembro, apresenta propostas nas mais variadas áreas artísticas que costumam marcar presença na programação do TAGV, procurando também representar a identidade daquele teatro, referiu o director da instituição, Fernando Matos de Oliveira.

“Organizámos eventos que pudessem chegar a públicos diversos, seja mais no âmbito da academia, para a cidade ou para a região”, esclareceu, salientando que há propostas que procuram explorar essa “relação muito próxima” com a cidade de Coimbra.

A 2 de Outubro, o TAGV acolhe a peça “Catarina e a Beleza de Matar Fascistas”, de Tiago Rodrigues, um espectáculo “representativo da força da criação portuguesa contemporânea”, salientou.

A 21 e 22 do mesmo mês, será a vez de subir ao palco a companhia espanhola Nau d’amores, que apresenta “Nise, La Tragédia de Inés de Castro”, um espectáculo que tem como base a obra Jerónimo Bermúdez e que explora o mito que marca a cidade de Coimbra.

O TAGV vai receber também o espectáculo de dança “Bate Fado”, de Jonas&Lander, a 9 de Outubro, em que é explorada a relação entre a dança, o fado e o sapateado, num exercício que tem também “ressonâncias” de Coimbra, por ter envolvido uma residência artística na cidade, salientou Fernando Matos de Oliveira.

Um concerto em torno de obras recentes de três gerações de compositoras pelo Sond’Ar-te Ensemble, uma actuação da Orquestra Todos, sessões de leitura de poesia, dois congressos internacionais (um sobre arte e ciência e outro sobre a relação entre a produção e a criação) e uma nova edição do Coimbra em Blues são outras das propostas do ciclo comemorativo do TAGV.

Pelo teatro, vai ainda passar, entre 1 e 2 de dezembro, o “Monólogo de Uma Mulher Chamada Maria Com a Sua Patroa”, da actriz Sara Barros Leitão, um espectáculo em torno das mulheres que trabalham nas limpezas e da sua luta sindical.

Comemorando 60 anos de actividade, os desafios do TAGV hoje passam “pela sustentabilidade, pela diversidade, mas também pelos desafios da criação contemporânea”, notou o director do teatro.

“O TAGV quer manter-se como lugar relevante da programação artística contemporânea e também como este lugar de interface entre a arte e a academia”, realçou.