Coimbra  28 de Julho de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Teatrão faz circular espectáculo em quatro freguesias de Coimbra

21 de Junho 2021 Jornal Campeão: Teatrão faz circular espectáculo em quatro freguesias de Coimbra

O Teatrão vai apresentar o espectáculo “A Grande Emissão do Mundo Português” em quatro freguesias de Coimbra, a partir de 26 de Junho a 16 de Julho.

Esta é uma iniciativa que pretende fomentar a proximidade e facilitar o acesso à cultura.

O espectáculo, que vai ter entrada livre, mas sujeita a reserva, vai decorrer no Largo da Junta de Freguesia de Torres do Mondego, no sábado (26), na Escola Básica da Adémia, em 2 de Julho, na Associação Desportiva e Cultural de Vila Verde, no dia 10, e no campo de jogos do Centro Norton de Matos, no dia 16, anunciou a companhia de teatro de Coimbra.

“O acesso ao nosso trabalho não é igual no sítio onde estamos, no centro da cidade, e fora dele. Então, se Maomé não vai à montanha, a montanha vai a Maomé”, contou a directora d’O Teatrão, Isabel Craveiro.

O tipo de freguesias escolhidas também mostra a diversidade do concelho, notou. “Coimbra é um concelho muito desigual, que tem sítios completamente rurais, outros que são só dormitórios e para nós também é muito importante que as pessoas percebam que fazemos teatro para todas as pessoas e uma companhia deve querer isso”, frisou.

Para além da necessidade de aproximar as pessoas ao trabalho da companhia, a circulação de “A Grande Emissão do Mundo Português” dá resposta também à vontade d’O Teatrão de fazer o espectáculo “ao ar livre”.

“Andava a sonhar com noites de Verão para fazer esta experiência”, disse Isabel Craveiro.

Segundo a directora, a companhia pretende no futuro levar outros espectáculos em carteira a freguesias do concelho.

Em “A Grande Emissão do Mundo Português”, o Teatrão aborda o papel da Emissora Nacional na criação de um certo país ficcionado pelo Estado Novo, num espectáculo onde se acompanham 21 anos do regime liderado por Salazar, entre os anos 1940 e 1960, à boleia de um programa de rádio.

Com duas décadas condensadas em hora e meia, o público assiste a um alinhamento, produzido por um grupo de cinco trabalhadores da Emissora Nacional, que vai da música ao noticiário, passando pela publicidade.