Coimbra  20 de Setembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Tabaqueira apoia instituições do distrito de Coimbra

11 de Setembro 2020 Jornal Campeão: Tabaqueira apoia instituições do distrito de Coimbra

Atendendo ao actual contexto de pandemia, a Tabaqueira decidiu apoiar uma centena de instituições por todo o país, das quais se destacam as do distrito de Coimbra: SOS Arganil, Associação Nacional de Apoio ao Idoso – ANAI, Centro Social Nossa Senhora da Alegria, Caritas Diocesana de Coimbra, Irmandade Nossa Senhora das Necessidades – Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Poiares e Casa do Povo de Quiaios.

A empresa, subsidiária portuguesa do Grupo Philip Morris International (PMI), decidiu apoiar aqueles que trabalham directamente com as populações e um pouco por todo o país doou 50 000 máscaras e 1 000 litros de álcool gel.

A solução desinfectante é produzida pela Tabaqueira na sua fábrica em Albarraque, concelho de Sintra, de acordo com a formulação recomendada pela Organização Mundial de Saúde.

“Esta é uma crise sem precedentes e que afecta instituições e populações de Norte a Sul de Portugal. Desde o seu início que sentimos que não podíamos ficar indiferentes a esta situação e, por isso, temos dado apoio de várias formas. Quando percebemos que podíamos produzir álcool gel na nossa fábrica, não hesitámos. Acreditamos que, neste momento, todos temos que nos mobilizar para ajudar. Seleccionámos 100 instituições que sabemos que trabalham directamente com as populações mais vulneráveis e para as quais este apoio é importante”, afirmou Miguel Matos, director-geral da Tabaqueira.

No contexto extraordinário imposto pela pandemia de covid-19, a empresa procurou uma solidariedade de proximidade e promoveu inúmeras iniciativas com vista ao combate do novo coronavírus e à ajuda a camadas mais vulneráveis da sociedade. Entre as acções realizadas, destaca-se a cedência temporária de uma viatura à Organização Não Governamental Médicos do Mundo e a distribuição de 6 800 refeições pela população mais vulnerável de Sintra durante o período de confinamento social.