Coimbra  9 de Julho de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Soure: “Verdes”’ questionam abandono do paul da Madriz

3 de Janeiro 2017 Jornal Campeão: Soure: “Verdes”’ questionam abandono do paul da Madriz

O partido ecologista ‘Os Verdes’ questionou, hoje, o Governo sobre o que diz ser o “estado de menosprezo e abandono” do paul da Madriz, uma área de 89 hectares localizada no concelho de Soure.

Numa pergunta enviada ao Ministério do Ambiente, o deputado José Luís Ferreira afirma que no paul da Madriz “é visível a reduzida ou quase inexistente intervenção do ICNF [Instituto de Conservação da Natureza e Florestas] na área húmida propriamente dita, assim como o estado de abandono e degradação dos equipamentos de apoio, sobretudo a estrutura em madeira, que no passado foram utilizados como observatório de aves”.

Adianta que o local, classificado desde 1988 como Zona de Protecção Especial para as Aves, que está inserido na Rede Natura 2000 e é também Zona Húmida de Importância Internacional, “embora de reduzidas dimensões, tem uma grande diversidade de habitats e possui grande valor como santuário para as aves aquáticas do Baixo Mondego, constituindo igualmente um importante local de migração outonal de passeriformes e de nidificação de aves de caniçal”.

Uma delegação partidária deslocou-se à localidade de Casal do Redinho, para visitar o paul da Madriz, tendo verificado que aquela área natural “se encontra menosprezada e em estado de abandono, comprometendo a própria preservação”, refere José Luís Ferreira.

“Embora existam vários factores de ameaça, directamente ligados à intervenção humana, como a caça e a pesca ilegais e a poluição química proveniente de práticas agrícolas, na área limítrofe, a verdade é que para além dos factores naturais e geomorfológicos, o Homem também contribuiu para a sua manutenção através de actividades compatíveis com a sua especificidade, pelo que, com cada vez menos intervenção das populações e afastamento de práticas agrícolas, seja necessário a própria manutenção pelo Instituto de Conservação da Natureza e Florestas”, argumenta o deputado.

Defende que o espaço que representa a porta de entrada do paul “deveria ser convidativo e com condições para que observadores de aves, investigadores e visitantes no geral possam usufruir da riqueza florística e faunística desta zona húmida” e questiona o Governo sobre o tipo de intervenção que ali tem existido.

O partido ecologista quer ainda saber “quais os meios disponíveis, nomeadamente de recursos humanos, que têm estado afectos à vigilância e manutenção” daquela zona natural e se tem existido manutenção da área húmida “de forma a compensar a intervenção humana que ia mantendo e preservando o paul”.

Na pergunta entregue na Assembleia da República, dirigida ao Ministério do Ambiente, José Luís Ferreira questiona, ainda, se está prevista alguma intervenção por parte do ICNF “de forma a recuperar as infraestruturas de apoio que se encontram no local, dotando o espaço de condições mínimas e compatíveis para que os visitantes usufruam do paul da Madriz”.