Coimbra  9 de Dezembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Soure: Ambiente, cultura e desporto são o foco do Festival Pangeia

5 de Setembro 2018

O autarca Mário Jorge Nunes (ao centro) ladeado pela equipa responsável pelo Festival Municipal de Juventude – Pangeia

 

Atrair as atenções da juventude do concelho de Soure para os problemas ambientais, não só do concelho mas do país e do mundo, é o principal objectivo do Festival Municipal de Juventude de Soure – Pangeia, que vai decorrer entre 14 e 16 de Setembro.

Inicialmente integrado nas comemorações do 25 de Abril, o Festival de Juventude autonomiza-se e “dá um salto qualitativo e quantitativo”, no sentido de “sensibilizar os mais jovens, e também os menos jovens para os grandes problemas que nos afectam hoje e no futuro”, explicou Mário Jorge Nunes, presidente da Câmara Municipal, na apresentação do evento.

O Pangeia (nome escolhido em referência à designação do supercontinente que existiu na Terra há milhões de anos atrás) trata-se de um festival “sobre o planeta e as temáticas associadas a questões ambientais”, adiantou o autarca, sublinhando que estas são “questões culturais e transversais a todos os países e continentes, no fundo, a toda a pangeia”.

Serão três dias repletos de actividades ambientais, culturais e desportivas, dedicadas aos jovens sourenses, até porque o que se pretende é que sejam eles “os veículos transmissores da mensagem das boas práticas ambientais”.

O Parque dos Bacelos será o epicentro do Festival, que se estenderá pelos rios Arunca e Anços, numa tentativa da “fazer as pessoas olhar para o rio e ajudar a melhorá-lo porque são símbolos do nosso concelho”, afirmou Mário Jorge Nunes, notando que o executivo tem a ambição de “receber provas nacionais de triatlo”.

O programa tem início na sexta-feira (14), pelas 10h00, e termina no domingo (17), às 17h00. Pelo meio, estão agendadas debates; ‘workshops’; inúmeras actividades náuticas com gaivotas, canoas, jangadas e kayaks; uma ‘eco-regata’; arte urbana; ‘sunsets’ nas Piscinas Municipais ao som de diversos DJs; um torneio de futvólei; uma mostra de actividades culturais; o habitual e muito concorrido ‘Cross Trail Soure 1111’ (onde são esperados cerca de 1 000 participantes); insufláveis; além de concertos, no palco principal (Parque dos Bacelos), que irá acolher a final do concurso de ‘Bandas de Garagem’ e os espectáculos de Sede Bandida e de Jimmy P.

“O Festival Municipal de Juventude é um aquecimento para o S. Mateus, é um reencontro de amigos depois das férias e antes do início do ano lectivo”, explicou o autarca, acrescentando que “tem sido difícil agradar a todos os públicos durante a feira de S. Mateus e, por isso, criou-se este conceito de antecipar as actividades para os mais jovens”.

Todas as actividades e espectáculos são totalmente gratuitas e livres, para quem pretender há local para acampamento, e a autarquia tem a expectativa de que possam passar pelo Festival cerca de 2 000 jovens do concelho.

O orçamento para este evento, que se situa nos 35 000 euros, está “de acordo com o que tinha sido reservado em anos anteriores para a área da juventude”, apenas se decidiu “dar uma nova roupagem e apostar noutros recursos e valências”, concluiu.

Com o apoio Associação dos Alunos do Ensino Superior do Concelho de Soure, entre outras parceiras, este será o primeiro Ecoevento de Soure, pelo que as boas práticas ambientais serão uma prioridade durante os três dias.

Soure inova na recolha de resíduos

Durante o Festival, a autarquia irá apresentar um projecto inovador, decorrente de uma candidatura do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), para a recolha de resíduos.

A entrar em funcionamento dentro em breve, e já instalados, estão 13 ecocentros (ilhas ecológicas) distribuídos pelas nove freguesias do concelho e outros quatro na freguesia de Soure. Além dos três ecopontos habituais, estes ecocentros vão ter contentores para depositar lâmpadas, óleo alimentar, pilhas, têxteis, electrodomésticos e outro para lixo diverso. Nesses locais, os sourenses poderão, ainda, encontrar outras comodidades como um ponto de higienização, câmaras de vigilância, iluminação.

Este projecto, que está inserido na iniciativa da autarquia “Recicla Soure”, que está, igualmente, a instalar mais ecopontos tradicionais por todo o concelho.

Outro dos aspectos focados pelo presidente da Câmara está relacionado com as águas dos dois rios do concelho: Anços e Arunca, um problema que a autarquia pretende ver resolvido através de um projecto de construção de diques, que será apresentado à Agência Portuguesa do Ambiente e ao Ministério do Ambiente.

“Em Soure estamos muito empenhados nas questões ambientais e queremos colocar a juventude a trabalhar connosco”, realçou o autarca Mário Jorge Nunes, garantindo que as verbas para a questão da reciclagem têm aumentado exponencialmente e que o dos próximos objectivos é poder criar um ecocentro municipal.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com