Coimbra  13 de Maio de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

SMTUC chegam hoje à zona Norte de Coimbra

1 de Abril 2021 Jornal Campeão: SMTUC chegam hoje à zona Norte de Coimbra

Os Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC) chegam hoje, pela primeira vez, às freguesias da zona Norte de Coimbra.

Na véspera, Manuel Machado, presidente da Câmara de Coimbra, percorreu as novas linhas de miniautocarro, acompanhado pelos vereadores e membros do conselho de administração dos SMTUC, Regina Bento e Francisco Queirós.

Em curso estão os últimos acabamentos, designadamente no novo interface em Ponte de Eiras.

“A Câmara de Coimbra, através dos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC), continua a melhorar e a reforçar o serviço público de transportes. A estratégia de contratar mais motoristas e adquirir mais autocarros tem permitido alargar a oferta e, a partir de hoje, a rede de transportes públicos vai ser prolongada às freguesias da zona Norte de Coimbra, designadamente Brasfemes, Souselas e Botão, sendo ainda reforçada nas freguesias de Eiras, São Paulo de Frades, Trouxemil e Torre de Vilela”, disse a autarquia.

“As novas linhas vão beneficiar mais de 20 000 habitantes com o aumento da oferta, de fiabilidade e de qualidade dos transportes”, acrescentou.

A 22 de Março, na apresentação dos seis autocarros dos SMTUC que vão servir a zona Norte do concelho, em Souselas, Manuel Machado mostrou-se feliz por “saber que muitas famílias de Coimbra vão poder agora passar a aceder às tarifas sociais praticadas pela Câmara, o que significa menos despesa em transportes e maior poupança”.

Salientando que se trata de um desejo antigo daquelas freguesias e da própria Câmara, o presidente da autarquia, Manuel Machado, disse que só agora foi possível “devido à valorização que estrategicamente fizemos nos SMTUC nos últimos sete anos”.

As novas linhas vão beneficiar as povoações de Souselas, Marmeleira, S. Martinho do Pinheiro, Cioga do Monte e Zouparria do Monte, designadamente: Linha n.º 50 (Manutenção/Sargento Mor – via Trouxemil), que terá a variante 50M (Manutenção/Sargento-Mor – via Trouxemil e regresso por Marmeleira); a Linha nº 50T – Manutenção/Sargento-Mor (via Souselas), que terá a variante 50S (Manutenção/Sargento-Mor – via Souselas e Marmeleira); e a Linha nº 51 (Manutenção – Marmeleira – via Souselas).

Já para servir as povoações de Outeiro do Botão, Botão, Larçã, Mata de S. Pedro, Paço, Póvoa do Loureiro e Paúl a autarquia vai criar a Linha n.º 52 (Pedrulha/Póvoa do Loureiro – via Mata de S. Pedro), com as variantes 52M (Pedrulha/Mata de S. Pedro), 52P (Pedrulha/Póvoa do Loureiro); 52T (Pedrulha/Mata de S. Pedro – via Botão).

A freguesia de Brasfemes também vai passar a ser servida pelos SMTUC, pela nova Linha n.º 53 (Ponte de Eiras/Brasfemes), que vai servir também a localidade de Vilarinho.

Actualmente estas localidades são servidas por linhas intermunicipais com uma oferta de 28 serviços aos dias úteis, aos sábados oitos serviços e aos domingos quatro serviços.

O novo serviço prestado pelos SMTUC vai garantir uma oferta de 26 viagens aos dias úteis, 12 viagens ao sábado e quatro ao domingo e feriados, verificando-se um reforço da oferta de transporte público para a extensão de saúde de Eiras. Esta linha também terá como destino as interfaces da Ponte de Eiras e da Pedrulha, a partir dos quais existem diversas ligações para vários destinos da cidade.

A interface da Pedrulha (Centro de Formação Profissional), que servirá de ponto de transbordo com as linhas 35 (HUC-Pedrulha) e 5 (Pedrulha-Estádio Municipal) localiza-se na paragem já existente, apenas sendo necessário prolongar a zona de paragem, de forma a acomodar dois veículos em simultâneo, caso seja necessário. Já a interface prevista para a Ponte de Eiras, localiza-se nos terrenos adjacentes à Escola Rainha Santa e está hoje nos acabamentos finais.

Esta localização permitirá a ligação com as Linhas 2T (Manutenção-Vil de Matos), a 36 (Praça da República Ponte de Eiras) e as novas Linhas 50 (Manutenção/Sargento-Mor, via Trouxemil) e 50T (Manutenção/Sargento Mor, via Souselas).

Estes novos serviços vão ter um período experimental, que vai decorrer até ao início do ano lectivo 2021/2022, por forma a avaliar o funcionamento das linhas em período lectivo e não lectivo, podendo ir sofrendo ajustes para melhorar o desempenho relativamente aos itinerários, paragens, horários e frequências mínimas. Durante este período, os residentes que actualmente acedem aos passes bimodais poderão continuar a usufruir deste serviço, caso assim o entendam.

Recorde-se que este prolongamento da rede dos SMTUC só é possível devido à estratégia de valorização dos transportes públicos que a CM Coimbra assumiu nos últimos anos.

Depois de, em Dezembro de 2019, os SMTUC terem chegado à zona Sul, passando a servir as freguesias de Almalaguês, Antanhol, Assafarge, Ceira, Cernache e Torres do Mondego e reforçando ainda o serviço em São Martinho do Bispo, os transportes públicos municipais chegam agora, a partir de amanhã, às freguesias da zona Norte e, em breve, também às freguesias da margem direita do Mondego, como Antuzede, São João do Campo, São Silvestre, São Martinho de Árvore e Lamarosa, até ao limite do concelho.

Com os novos 21 motoristas que entraram nos quadros dos SMTUC em Janeiro deste ano, a CM Coimbra admitiu 64 trabalhadores para a função de motorista de transportes colectivos de passageiros nos últimos quatro anos. No mesmo sentido, a autarquia reforçou a frota com 79 viaturas nos últimos sete anos: 49 autocarros (10 eléctricos), 23 miniautocarros (11 eléctricos e dois híbridos), duas carrinhas de transporte especial e cinco viaturas de apoio, num investimento superior a 12 milhões de euros.

Em curso está ainda a aquisição de cinco novos autocarros 100% eléctricos ‘standard’, e respectivos carregadores, à empresa BYD Europe B.V., que venceu o concurso público internacional, por 2,4 milhões de euros, pois o objectivo da autarquia é, também, continuar a renovar a frota dos SMTUC com veículos com melhor desempenho ambiental e reduzir o impacto negativo das emissões de gases com efeito de estufa e de outros poluentes atmosféricos.

Os custos com os SMTUC são suportados pelos cofres municipais, representando um investimento anual superior a nove milhões de euros.