Coimbra  22 de Setembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Sete doces da região de Coimbra na eleição das “7 Maravilhas”

7 de Maio 2019

O arroz doce do Baixo Mondego e o pastel de Tentúgal (Montemor-o-Velho), o bolo de Ançã (Cantanhede), a escarpiada (Condeixa) e a arrufada, os pastéis de Santa Clara e o pudim das clarrisas (Coimbra) estão entre os 140 doces que avançam para a fase de eliminatórias das “7 Maravilhas Doces de Portugal”.

Os candidatos serão votados pelo público em 20 programas a emitir em directo pela RTP, nos meses de Julho e Agosto.

“Das 907 candidaturas às 7 Maravilhas Doces de Portugal chegámos aos 140 doces das finais distritais que vão ser votados pelo público”, informou, hoje, a organização, que divulgou a lista final dos 140 doces que avançam para votação do público.

A lista dos 420 doces que passaram à segunda fase de votação do painel de especialistas foi reduzida a sete doces por distrito e região autónoma.

“Se existisse uma pastelaria ou confeitaria em Portugal dedicada a confeccionar a doçaria portuguesa mais representativa, de maior qualidade e com os sabores que fazem as nossas memórias ou que inovam com produtos da terra, seriam estes 140 doces que encontraríamos nas suas montras”, assegura Luís Segadães, presidente das “7 Maravilhas”.

“Esta lista e esta eleição permitem valorizar e destacar não só a pastelaria nacional, como as profissões a ela associada. Por isso vamos inclusive desafiar os candidatos à profissão de pasteleiro a criar um doce, com sete camadas, os sete sabores mais representativos do nosso país, de forma a estimular a criatividade e o gosto dos jovens cozinheiros por esta área, cada vez mais criativa e desafiante em Portugal. Vai ser um concurso dentro do concurso, em parceria com o Turismo de Portugal, em que esta lista de 140 doces serve de inspiração aos jovens pasteleiros”, acrescenta.

De referir que estes 140 doces vão ser votados pelo público em 20 programas de ‘daytime’, a emitir em directo pela RTP, nos meses de Julho e Agosto. De cada programa na RTP sai um pré-finalista que passa às semifinais.

Uma novidade desta edição é a existência de um grande júri, órgão de deliberação constituído por sete figuras do espaço mediático, que será responsável pela da repescagem de oito candidatos que se irão juntar aos 20 pré-finalistas apurados pelo público, resultando numa lista de 28 pré-finalistas.

Os 28 pré-finalistas são divididos por sorteio pelas duas semifinais, nos dias 24 e 31 de Agosto, dois programas em directo na RTP1, transmitidos em horário nobre. Em cada semifinal são apurados os sete doces, aqueles que tenham mais votos contabilizados. Nesta fase os sete elementos do grande júri assumem grande preponderância, comentando e provando os doces.

A Gala Finalíssima decorre a 07 de Setembro e será transmitida pela RTP1, em horário nobre. Dos 14 finalistas apurados vão ser eleitos sete doces pelos portugueses como “7 Maravilhas de Portugal”.

De salientar que o painel de especialistas, que escolheu os 140 doces que os portugueses vão votar nas eliminatórias, é constituído por 140 personalidades, sete de cada distrito e regiões autónomas. Recorde-se que a organização recebeu 907 candidaturas, num envolvimento sem precedentes de todo o país.

O Conselho Científico é um órgão constituído para apoiar a organização do concurso na elaboração do regulamento, na verificação das candidaturas e nas tomadas de decisão, tendo o objectivo de libertar a organização de quaisquer tomadas de posição face aos candidatos a concurso, assegurando por isso, a máxima idoneidade, independência e equidistância do processo.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com