Coimbra  27 de Junho de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

“Sementes para o futuro” faz nascer duas centenas de árvores autóctones

20 de Novembro 2018

O projecto-piloto de educação e sensibilização ambiental “Sementes para o futuro”, da Dueceira – Associação de Desenvolvimento do Ceira e Dueça, já trabalha para fazer nascer uma nova área florestal, com a plantação de 207 micro-maternidades de árvores autóctones.

Um total de 5 836 sementes de sobreiros, castanheiros, carvalhos e freixos foram lançados à terra, só no último mês, envolvendo nesta acção cívica 27 entidades e 29 famílias, num total de cerca de 200 participantes.

A operação de reflorestação é promovida pela Dueceira, em parceria com as câmaras municipais, a Activar, a ADSCCL e a Lousitânea, e tem como território de intervenção os concelhos de Lousã, Miranda do Corvo, Penela e Vila Nova de Poiares.

“Trata-se de um projecto experimental que perspectiva resolver o problema crescente de inexistência a curto prazo de árvores para reflorestar, nomeadamente as extensas áreas ardidas. Uma acção de educação para a cidadania das famílias e de responsabilidade social das empresas e entidades”, revela a Associação.

O objectivo principal passa pela “sensibilização ambiental da sociedade civil que se concretiza em três acções principais: a recolha de sementes; a criação de micro-maternidades de árvores autóctones e a florestação, a título demonstrativo, de uma área do território, a determinar”.

A meta é que a criação de 500 micro-maternidades dê vida a cerca de 14 000 árvores.

Foi, ainda, criada a figura de “Guardião”, assumidas por 56 entidades, desde instituições, a empresas e famílias), que se comprometeram a cuidar destes espaços recém semeados durante um ano.

Assim, pretende-se que, no Inverno de 2019, “estas sementes já se tenham transformado em pequenas árvores com maturidade para serem transplantadas para o seu habitat natural, ou seja, estejam prontas para reconverter a natureza flagelada destes quatro concelhos em espaços com potencial paisagístico”, sublinha a Dueceira. Para tal, serão programadas acções colectivas de reflorestação para as quais será envolvida toda a comunidade.

O projecto é financiado pelo Ministério do Ambiente através do Fundo Ambiental, no âmbito da Medida “Envolvimento dos cidadãos no seu KM2 de acção”.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com