Coimbra  18 de Agosto de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

São Martinho do Bispo celebra 915 anos de freguesia

26 de Julho 2019

A freguesia de São Martinho do Bispo, em Coimbra, celebra amanhã (27), os seus 915.º aniversário. Uma efeméride importante e que o executivo da União de Freguesias quer assinalar de uma forma relevante.

O objectivo, segundo o presidente da União de Freguesias (UF), Jorge Veloso, é comemorar este aniversário junto de quem mais importa: os cidadãos.

Assim, terá lugar uma sessão solene, a partir das 16h15, na sala nobre da sede da UF, na Bencanta. As intervenções ficarão a cargo de Jorge Veloso, mas logo de seguida procede-se a três homenagens: a João Carvalho Ventura, cujo orador será Amável Baptista; à Casa dos Pobres, com Flávio Ferreira como orador; e ao Grupo Recreativo Vigor da Mocidade, descrito por José Ferreira da Silva.

Ainda por confirmar está a presença de Manuel Machado, presidente da Câmara de Coimbra, na sessão de encerramento, pelas 18h00, antes do tradicional ‘Porto de Honra’.

A história de S. Martinho do Bispo está umbicalmente ligada à da própria cidade de Coimbra, tendo sido as suas boas condições fisiográficas, que integravam as extensas planícies aluviais e constituíam os férteis campos do Mondego, e suscitaram o interesse do abade Pedro, Moçárabe chegado da terra de Pagãos e acolhido por D. Sisnando.

Seguiu-se a construção da igreja, de casas e de terrenos de cultivo e é, nos limites da igreja (demarcados a 25 de Abril de 1080 por S. Sisnando), que “se encontra o acto fundador desta comunidade, o núcleo genético desta estrutura espaço-religiosa secular que é São Martinho”.

A localidade foi prosperando à volta da igreja e, por via do testamento deixado pelo abade D. Pedro, foi legado à catedral de Coimbra a igreja de São Martinho, passando, assim, o destino da comunidade para as mãos de uma nova senhoria, a Sé de Coimbra. É, por isso, que São Martinho passou a ser do Bispo, precisamente para marcar “essa relação de vassalidade e obediência face ao bispo de Coimbra”.

O crescimento da freguesia foi evidente durante os séculos que se lhe seguiram, pelo que passou a ser reconhecida como uma das mais importantes e ricas da cidade de Coimbra. O seu peso na comunidade foi confirmado pela presença frequente do Rei D. Dinis, que aqui parava com a sua corte. Também por estes territórios passaram D. João III (em 1550) e D. Sebastião (em 1570).

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com