Coimbra  21 de Setembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Salão Brazil vai reabrir com concertos de Birds Are Indie

18 de Junho 2020 Jornal Campeão: Salão Brazil vai reabrir com concertos de Birds Are Indie

O Salão Brazil, em Coimbra, vai retomar a programação, após o fecho devido à pandemia da covid-19, com quatro concertos, no final do mês, dos Birds Are Indie, banda da cidade que apresenta o seu mais recente disco.

Os concertos de apresentação do disco “Migrations – the travel diaries #1”, lançado em Abril, vão decorrer de 25 a 28 de Junho, no Salão Brazil, com uma lotação limitada a 40 pessoas sentadas, por sessão, afirmou à agência Lusa José Miguel Pereira, director do Jazz ao Centro Clube, entidade que gere aquela sala de Coimbra.

Com uma lotação reduzida a menos de um quarto da sua anterior capacidade, o Salão Brazil deverá contar com quatro a seis espetáculos em Julho, que ainda não estão fechados, referiu.

“Vamos dar preferência a bandas de Coimbra e, numa primeira fase, estamos a pensar ter uma abertura grande de géneros musicais, mas estamos a tentar fazer coincidir com propostas mais intimistas, que se adequem à natureza da sala que vamos ter”, disse José Miguel Pereira.

Segundo o responsável, deverá haver mais situações em que a mesma banda ou artista apresentem mais do que uma sessão.

Os Birds Are Indie, sabendo que seria impossível ter uma “sala bastante composta”, propuseram logo fazer quatro sessões no Salão Brazil, espaço onde estava previsto um concerto de apresentação do disco em Abril e que foi cancelado, contou à Lusa um dos elementos da banda, Ricardo Jerónimo.

“Vão ser quatro concertos diferentes. Não vamos repetir o mesmo concerto quatro vezes. Os alinhamentos não serão completamente diferentes porque vamos apresentar o novo disco, mas as músicas que o completam vão variando”, explicou.

Para o concerto, a banda conta ainda ter “algumas surpresas” ao longo da noite, sendo que, estando habituados a concertos intimistas, foi fácil adaptarem-se às actuais circunstâncias.

Segundo Ricardo Jerónimo, a opção de quatro concertos na cidade deve-se, por um lado, a questões financeiras, mas também para garantir que mais pessoas de Coimbra possam assistir ao concerto.

Com o desconfinamento, a banda tem registado cada vez mais marcações nas últimas semanas, tendo já concertos marcados para Julho, Agosto, Setembro e Outubro, alguns fruto de reagendamentos, outros de nova programação.