Coimbra  17 de Abril de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Região de Coimbra premeia cinco ideias de negócio

12 de Junho 2023 Jornal Campeão: Região de Coimbra premeia cinco ideias de negócio

Happilness, Azulejo Digital, Fiberloop, PurrAI e Planeta Aguarela são as cinco ideias de negócio premiadas no âmbito do projeto Região de Coimbra Empreende+ (RCE+), anunciaram a Comunidade Intermunicipal (CIM) Região de Coimbra e o Instituto Pedro Nunes.

Os cinco vencedores, três da categoria geral e dois da categoria feminina, foram revelados esta segunda-feira, no auditório das instalações da CIM Região de Coimbra, depois de os 10 finalistas terem apresentado publicamente as suas ideias de negócio.

O projecto Happilness foi o grande vencedor do Concurso Regional de Ideias de Negócio, na categoria geral, tendo sido atribuído um prémio de cinco mil euros a uma equipa de quatro investigadores da área da experimentação animal, que propuseram “uma alternativa animal ‘friendly’”.

De acordo com a porta-voz, Sara Nunes, este projecto visou o desenvolvimento de “uma solução para dosear substâncias a animais de laboratório por via oral, para ultrapassar limitação que existe na experimentação animal que é a gavagem intragástrica, uma metodologia muito invasiva e stressante”.

“O nosso kit científico incorpora todos os reagentes e acessórios e uma receita para que os utilizadores sigam todos os passos e consigam produzir as suas próprias gomas, incorporando os fármacos a testar, nas doses que precisam”, descreveu.

Sobre o prémio monetário, Sara Nunes admitiu que servirá para “começar a dar passos no sentido de validação do protótipo”. “Precisamos de um financiamento maior e vamos procurar financiamento público e privado para validar o nosso produto final”, acrescentou.

O segundo prémio da categoria geral, no valor de três mil euros, foi atribuído ao projecto Azulejo Digital, que consiste em fazer “sinalética durável, tanto na sua componente física como digital”.

“Fazemos impressão em azulejos, que depois são cozidos. Os nossos painéis são sobretudo para projectos de património cultural, incluem código QR que aponta para uma página digital, com recursos a tecnologias para garantir a sua durabilidade”, indicou David Francisco.

O terceiro prémio, no valor de dois mil euros, distinguiu o projecto Fiberloop, de Tiago Neves, fundador da empresa FiberSight. “Este projecto consiste no desenvolvimento de fibras ópticas para detectar fugas de água. Conseguimos detectar com a precisão de um minuto e de um metro também onde uma fuga está a começar, ajudando a poupar água e todos os custos de reparação”, informou.

Já na categoria feminina, o primeiro prémio, no valor de cinco mil euros, foi entregue ao projecto PurrAI, que surgiu tendo por base uma investigação desenvolvida por investigadores da Universidade de Coimbra.

“Está focado nas primeiras fases da descoberta de medicamentos para doenças neurológicas, para as quais utilizamos a construção de ‘software’, e de uma forma mais rápida e utilizando a inteligência artificial obtermos os medicamentos correctos”, revelou Irina Moreira.

Já a segunda posição, com um prémio de três mil euros, foi entregue ao projecto Planeta Aguarela, de Soraia Almeida. “Trata-se de um projecto de educação ambiental para crianças e famílias. O nosso plano inclui actividades diferentes para cada mês do ano, acompanhando o que está a acontecer na aldeia de Vilar, concelho de Vila Nova de Poiares”, referiu.