Coimbra  20 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Região de Coimbra diz que autarcas convergem na defesa de aeroporto regional

21 de Setembro 2020 Jornal Campeão: Região de Coimbra diz que autarcas convergem na defesa de aeroporto regional

O presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra, José Carlos Alexandrino, disse hoje que os autarcas convergem na defesa de um aeroporto na região sem que tal dependa da localização.

“Não há qualquer divergência entre a CIM de Leiria e a CIM de Coimbra, antes pelo contrário”, adiantou o autarca do PS em declarações à agência Lusa.

José Carlos Alexandrino, que é também presidente da Câmara de Oliveira do Hospital, no interior do distrito de Coimbra, reagia a uma entrevista da ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, ao programa “Conversa Capital”, da Antena 1 e do Jornal de Negócios, no domingo, na qual afirmou que não conhece “nenhum estudo” que demonstre a necessidade daquela infraestrutura aeroportuária nem a sua eventual implantação, na região Centro.

“O que nós queremos é um aeroporto de características regionais”, sublinhou, com José Carlos Alexandrino a referir que a região dispõe de “dois estudos que provam isso”, um dos quais, encomendado pela Câmara de Coimbra, a recomendar que essa infraestrutura seja construída a meio caminho entre esta cidade e Leiria, na zona dos municípios de Pombal e Soure.

No caso de o projecto vir a avançar, “essa devia ser a prioridade”, de acordo com o estudo apoiado pela CIM da Região de Coimbra.

“Já antes apresentámos ao Governo essa alternativa aos aeroportos e Lisboa e Porto. Mas [nas duas CIM] estamos até bem unidos nesse desígnio, os nossos territórios não têm fronteiras”, referiu.

Por sua vez, o presidente da Câmara de Leiria, o socialista Gonçalo Lopes, disse hoje que a autarquia está disponível para enviar ao Governo um estudo sobre a viabilidade da abertura da Base Aérea 5, em Monte Real, à aviação civil.

A localização do aeroporto regional em Monte Real “é baseada num estudo”, encomendado pelas Câmaras de Leiria e Marinha Grande, “que sustenta esta opção, dada a proximidade de Fátima, o único pólo da região com capacidade para gerar um fluxo de turistas suficiente para viabilizar a construção de um aeroporto na região”.