Coimbra  15 de Julho de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Região de Coimbra contesta auditoria à Entidade de Resíduos Sólidos Urbanos

2 de Julho 2024 Jornal Campeão: Região de Coimbra contesta auditoria à Entidade de Resíduos Sólidos Urbanos

A Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra contestou hoje o modo como a Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) efectuou uma auditoria à Entidade de Resíduos Sólidos Urbanos do Centro (ERSUC).

“Os municípios que integram a CIM da Região de Coimbra manifestam a sua discordância com a forma como foi realizada a auditoria à ERSUC pela ERSAR”, afirmou aquele organismo intermunicipal.

Ao criticarem os resultados da fiscalização à Entidade de Resíduos Sólidos Urbanos do Centro, as 19 autarquias da região exigiram uma análise mais rigorosa e consideraram que a acção foi limitada e não permitiu uma análise profunda dos aspectos que afectam a eficiência e eficácia daquela empresa regional.

“Em Fevereiro de 2023, a CIM da Região de Coimbra, juntamente com vários municípios que integram a ERSUC e a CIM da Região de Aveiro, pediram esclarecimentos à ERSAR sobre os aumentos consecutivos e abruptos das tarifas associadas ao tratamento de resíduos, visando proteger os interesses dos utilizadores e garantir a melhoria do sistema de gestão de resíduos”, recordaram.

Em resposta, a ERSAR comunicou que realizaria uma auditoria à Entidade de Resíduos Sólidos Urbanos, na qual “se debruçou sobre a gestão da ERSUC, [no] período de 2014 a 2022, [que] resultou num relatório que, segundo uma análise da CIM Região de Coimbra e da Empresa Intermunicipal de Ambiente do Pinhal Interior (APIN), poderia ser mais detalhado em alguns pontos críticos, bem como envolver mais trabalho de campo e visitas ‘in loco’ às infraestruturas” da empresa.

Por isso, a CIM decidiu “solicitar à entidade reguladora que tome medidas para aprofundar e analisar mais minuciosamente alguns dos parâmetros e dados avaliados nesta auditoria”.

“Esta acção visa obter uma análise mais completa e rigorosa dos factores que afectam o desempenho do sistema de gestão de resíduos, garantindo a defesa dos interesses dos utilizadores e a sustentabilidade do serviço”, explica a CIM.

Entretanto, a Comunidade Intermunicipal enviou um ofício à ERSAR “com uma análise da auditoria efectuada pela CIM Região de Coimbra e pela APIN, incluindo oportunidades de melhoria identificadas e outras que venham a ser sugeridas pelos municípios”.